Produtores de Barra de Santana lotam sindicato pedindo permanência de técnico da Emater

Pedir a permanência do técnico da Emater para continuar fazendo o trabalho de extensão rural no município de Barra de Santana, Cariri Oriental, foi o principal objetivo de cerca de 160 produtores rurais pecuaristas daquele município, na manhã da última quinta-feira(21/06), em reunião que aconteceu na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais naquela cidade.

O município de Barra de Santana partiu para discutir a extensão rural já que a comunidade do município tem um técnico extensionista que, na opinião dos produtores, é de muita eficiência e competência e recentemente circulou informação de que a direção da Emater-PB estaria transferindo o técnico para outro município o que causou bastante desagrado aos agricultores pecuaristas, provocando muita movimentação em todo o segmento.

A informação fez com que os empreendedores procurassem o sindicato pedindo mobilização já que a informação é que um deputado com votação majoritária no município e o prefeito da cidade estariam pedindo a transferência do extensionista argumentando que o profissional estaria com escritório instalado na sede sindical daquele município e, desta forma, atendendo pleitos políticos daquela instituição sindical de forma politicamente parcial o que causou descontentamento no meio rural já que o técnico contabiliza uma ampla folha de trabalhos prestados no processo de capacitação dentre outros.

José Lacerda Barbosa, Zé de Cazuza, é pecuarista na bovinocultura de leite e, ao participar do Programa Domingo Rural, fez um apelo ao governador Ricardo Coutinho e seus auxiliares pedindo que tenham um olhar especial para o trabalho positivo que vem sendo feito pelo extensionista Marcello Bezerra Rodrigues de Oliveira junto aos produtores de todos os recantos de Barra Santana. “O recado que eu deixaria é o seguinte: dizer ao governador que ele vai cometer, se ele fizer isso, um grande erro em tirar Marcello da comunidade de Barra de Santana, e falar pra esses secretários que você falou a mesma coisa, é um grande erro tirar Marcello daqui, ele é um homem que vem nos ajudando e vai ajudar a gente enfrentar essa seca, isso eu tenho certeza”.

Petrônio Cordeiro do Rego é pecuarista residente na comunidade Barriguda, participou do Domingo Rural e disse do porque deixar a atividade e participar da assembléia no sindicato, explicando que o técnico é um excelente extensionista e por isso os produtores estão unidos pela permanência do profissional em Barra Santana. “Que dê condições a ele para ele ficar aqui, dê uma potência a ele porque do jeito que está sem ter onde ficar, está tudo desmantelado e não pode ficar aqui, como é que vai ficar, vai ficar no meio da rua?”, argumenta Petrônio dizendo que o atual extensionista representa o mais atualizado profissional a trabalhar que já atuou no município.

Fernanda Cordeiro Barbosa é pecuarista e proprietária da empresa D’leite, participou da assembléia e do Domingo Rural falando sobre a inquietude dos produtores rurais, assegurando que a direção da Emater não pode tomar nenhuma decisão sem antes ouvir os pecuaristas. “Eu acredito que a consciência está se formando agora, na verdade a importância da Emater é de fundamental para o município e a gente espera que a Emater traga uma nova sede estruturada com impressora, com computador porque a gente sofria sem condições nenhuma de atendimento”, argumenta Fernanda dizendo acreditar que a presidência da Emater entenderá a verdadeira vontade da sociedade daquele município e que se tiver qualquer dúvida venha participar de reunião com os agricultores pecuarista do município. “Eu queria dar ênfase a questão de Ricardo Coutinho, porque Ricardo Coutinho me parece uma pessoa muito justa que fala em toda política dele de colocar técnico que entenda, pode olhar que o secretariado de Ricardo Coutinho é muito diferente dos outros secretários que já estiveram no governo do Estado que eram pessoas políticas que não sabiam do que estavam fazendo, mas estavam lá, então se Ricardo Coutinho quer fazer essa política então não justifica o cara que está aqui sair porque conhecimento e vontade de trabalhar ele tem”.

Marcelo Cordeiro Costa é pecuarista no município de Caturité e projetista em Barra Santana e, ao comentar o papel que o técnico tem exercido no município e que é de muita importância para o fortalecimento da agropecuária da municipalidade. “Ele é excelente, porque como eu trabalho particular em outros municípios eu sinto que sempre tem aquela ciumeira do técnico da Emater, Marcelo não, com Marcelo a gente resolve os problemas juntos, porque ele quer o bem para o produtor”.

O pecuarista Paulo Cordeiro do Rego falou sobre a experiência que os proprietários rurais enfrentavam em anos passados já que tinham dificuldade de convivência com a extensão local pela sua pouca eficiência. “Esse povo tem que acreditar no trabalho de Marcelo, Marcelo é um cara que não pára aqui em Barra de Santana, eles tem que ajudar Marcelo ficar aqui e dar assistência a ele, botar mais gente pra ajudar, mais técnico porque ele só não vence e ele está fazendo o melhor pra Barra de Santana e pra todo mundo de Barra de Santana e esse povo competente era pra fazer mais pelo produto, e Marcelo faz só falta uma ajuda de fora”.

Paulo Medeiros Barreto é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Barra Santana e garante que os pecuaristas se indignaram quando souberam que as forças políticas locais estavam promovendo a transferência do técnica sem se preocuparem com a realidade que aquela bacia leiteira vem enfrentando e sem avaliar a importância que o extensionista vem exercendo no processo de capacitação dos produtores na implementação de tecnologias apropriadas capazes de fortalecer a economia agropecuária daquele município. “São questões políticas, o técnico não faz o jogo que interesse aos políticos locais, ao gestor do município, ai deputado majoritário no município e então quando ele não chegou junto pra fazer o que eles queriam, ficou a reboque da prefeitura e do deputado, eles sentiram que esse técnico não servia pra ele porque não estava fazendo os caprichos que eles queriam. Então a atribuição nossa que a gente dá é a questão política, única e exclusivamente política, porque nós não temos problemas do técnico com os produtores, nós não temos problemas do técnico com a sociedade civil, com a entidade de classes que é o sindicato, cm as associações, nós não temos nenhum problema”, explica o representante da agricultura e agricultores daquele município.

”O dia 21 de junho, hoje, foi um dia diferente e marcante para a história de Barra de Santana onde a população se reuniu pra discutir o desenvolvimento local, não só as questões econômicas de produção, mas sim também como as instituições governamentais e não governamentais estão atuando na região”, comenta o técnico extensionista Marcello Bezerra Rodrigues de Oliveira aproveitando para informar que, após as mobilizações dos produtores rurais do município, a regional da Emater traz a informação de que a vontade popular será acatada e que o processo de estruturação da empresa no município será providenciado no município. “Na verdade a Emater passou por algumas dificuldades e vem passando, mas a coordenação regional a par da situação junto com a diretoria já está tentando sanar o problema com relação ao local de atendimento, com relação a capacidade operacional, mas enfim, o importante é que os produtores, a sociedade civil organizada através do sindicato e outras instituições vieram pedir uma solução pra questão, então hoje a gente pode dizer que o produtor já está consciente e já sabe quê é que quer e que é melhor pra ele”.

Para a reunião foram convidados agropecuaristas de todo o município, representações da Emater Paraíba e Emater regional Campina Grande, secretaria da agricultura familiar do governo do estado, secretaria de agricultura do município e prefeitura municipal com participação apenas dos produtores e o técnico em questão. “Eu achei não de minha parte, mas da parte dos produtores, uma ofensa a coordenação da Emater não ter vindo, o presidente da Emater não ter vindo, o secretário da agricultura familiar não ter vindo, o gestor municipal não ter vindo foi convidado por escrito, o secretário da agricultura do município não ter vindo para debater o problema. Porque essa é uma questão que vai afetar aos produtores, então quando deixa de vir debater com os produtores isso á não é uma desfeita a mim, não foi eu que fiquei ofendido, mas os produtores ficaram ofendidos porque foi um desrespeito principalmente do coordenador Júnior porque eu só marquei a reunião depois que ele disse o dia que estava disponível para vir, ele foi quem marcou o dia e a hora de vir pra reunião”, reclama aquela liderança.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top