Projeto da Embrapa desenvolve buchada e dobradinha da caprinovinocultura pré-prontas

Pesquisadores da Embrapa Caprinos e Ovinos, de Sobral-CE, estão desenvolvendo pratos típicos da culinária nordestina, a buchada e a dobradinha que poderão chegar pré-prontas aos mercados brasileiros.

A informação foi trabalhada no Programa Domingo Rural e Programa Esperança no Campo a partir de informações da assessoria daquela unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária justificando tratar-se de um método que padroniza o preparo desses pratos de forma higiênica e com maior tempo de conservação. “Os produtos ainda não estão disponíveis ao consumidor e, de acordo com a Embrapa, o objetivo é capacitar os abatedouros, frigoríficos e agroindústrias ao longo deste ano para que eles cheguem aos mercados do Nordeste e Sudeste, regiões onde foi identificada uma maior demanda”, justifica aquela assessoria e compartilha a programação de Stúdio Rural.

Aquela assessoria explica que para pesquisadores daquela empresa, a inovação deve incentivar o aproveitamento de partes dos animais que são geralmente descartadas, já que o foco dos produtores é o uso da carcaça, ou seja, o animal abatido sem sangue, vísceras, órgãos internos e cabeça. “A buchada e a dobradinha são pratos elaborados de forma artesanal, o que aumenta a possibilidade de contaminação microbiana. Por isso, a Embrapa focou no desenvolvimento de técnicas para tornar os alimentos mais seguros ao consumidor final”, explica acrescentando que testes realizados pela Embrapa com 163 pessoas, de 17 a 70 anos, identificaram 90% de satisfação em relação à qualidade da buchada com 87% aprovando o aroma e a cor da iguaria dentre outros.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural / Embrapa

Foto: Jaine Souza

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top