Queimadas sedia encontro sobre turismo integrado do Agreste e Borborema

A cidade de Queimadas, no Agreste paraibano, sediou mais um encontro de formalização do projeto de turismo integrado Agreste-Borborema em evento que aconteceu na última quinta-feira(07/05) na Casa Dom Luis naquela cidade.

O evento aconteceu durante a manhã da quinta-feira, contou com a presença de diversos prefeitos de cidades das duas microrregiões que participaram de toda a programação. A recepção dos participantes se deu com a apresentação do Grupo de Coco de Roda do Sítio Verdes e em seguida as falas de prefeitos, secretário de Turismo do Estado da Paraíba, Romeu dos Prazeres Lemos dentre outras autoridades presentes, pactualização e assinatura do projeto e palestras sobre a serra de Bodopitá enquanto patrimônio histórico e arqueológico dentre outras.

Para o prefeito daquela cidade, José Carlos de Sousa Rego, o interesse das parceiras mostra o nível de conscientização de cada um para a necessidade da união de todos em torno da construção da integração de ações em torno de uma rede turística que envolva as duas microrregiões fazendo com que o turista possa visitar mais as belezas dos municípios de forma integrada. “É fundamental a união no reconhecimento da realidade do município visinho e com essa integração sai ganhando todo mundo e isso mostra com esse termo de compromisso que estamos assinando a importância desse pacto”.

A gestora de turismo do Sebrae, Rosa Maria Correia, ao dialogar com Stúdio Rural, disse que desde o início do ano vem se construindo um planejamento para o desenvolvimento do turismo do Agreste e Borborema e aquele evento representou o espaço de assinatura do pacto entre os gestores públicos municipais que passarão a construir juntos o histórico dos municípios mostrando seu potencial para que façam parte de uma rota a ser visitada pelo turista. “Aquilo que nós planejamos está sacramentado pelos prefeitos da região, pelo secretário de estado, pelos parceiros que estão aqui presentes: Banco do Nordeste, Sebrae, Sindcampina, Convention Bureau, Escola Redentorista e agora é botar a mão na massa e as coisas acontecerem, não tem mais que ficar fazendo planejamento, agora é marcos críticos, ou seja, em cada macro ação que nós definirmos, teremos marcos críticos com data prevista para iniciar e terminar e agora é cumprir isso”, argumenta, garantindo que outros municípios serão visitados para a construção das ações pelo desenvolvimento.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top