Queimadas seleciona delegados para conferências de Desenvolvimento Rural Sustentável

Entidades de agricultores componentes do CMDRS, Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável de Queimadas se reuniram no último dia 19 de junho, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais daquele município para discutir a construção de sua política de desenvolvimento rural que será levada para ampla discussão na Conferência Territorial, Conferência Estadual e Conferência Nacional de Desenvolvimento Rural, ações continuadas que acontecerão dentro do mês de julho dentre outros meses até que feche questão na Conferência Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável, em outubro.

Durante o encontro as representações discutiram e planejaram com o objetivo de diagnosticar as potencialidades econômicas do campo, com a participação de diversos agentes envolvidos, verificando os gargalos que impedem o desenvolvimento destas áreas. “Os eixos temáticos que vieram para os grupos discutirem são eixos temáticos em que nós já temos experiência dentro do próprio município, isso facilitou bastante para que o trabalho em grupos viesse a fluir com rapidez”, explica a presidente daquele sindicato, Maria Anunciada Flor Barbosa, acrescentando que o encontro deixa claro que a agricultura familiar municipal já tem claro o tipo de tecnologia que quer e precisa para o desenvolvimento da agricultura local em sintonia com as práticas de todo o Pólo Sindical da Borborema, fazendo referência ao programa de sementes já trabalhado naquele município e as ações hídricas que tem como ênfase as cisternas de placas dentre outras tecnologias que são trabalhadas a partir dos conhecimentos e mão de obra local.

Luzia Tavares da Silva Miranda é agricultora e representante da Associação dos agricultores e Agricultoras do Sítio Catolé e, ao dialogar com Stúdio Rural, disse ser uma avaliação importante, pois é através da conferência que pode se constituir um melhor planejamento em lei para o processo de execução de políticas públicas que venham em verdadeira sintonia com a vontade da agricultura através da luta organizada de suas entidades. “Depois dessa conferência tudo será melhor, esse é o primeiro passo e a gente pode ter um grande avanço”.

Paulo Sérgio Alves é agricultor e liderança na comunidade Malhada Grande e, também ao participar de nossos programas radiofônicos, disse que foi importante por gerar uma agenda positiva para o desenvolvimento rural na lógica participativa e disse que o que mais chamou a atenção dele foi o nível de propostas e debates colocados no papel para que vá avançando para o territorial, estadual e nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável e garante que os delegados votados para representar o município foi algo bastante animador.

Adailma Ezequiel Pereira é jovem agricultora residente na comunidade Lutador, participou do encontro e dos Programas de Stúdio Rural falando sobre as discussões e garante que o município apresentará importantes propostas no territorial, estadual e nacional já que as práticas em campo estão cada vez mais consistentes a exemplo dos trabalhos com bancos de sementes, fundos rotativos solidários e ações hídricas estruturadoras nas unidades rurais que são referências dentro das ações amplas trabalhadas dentro dos diversos municípios do Pólo Sindical da Borborema. “Foi muito proveitoso, se tudo que foi discutido for colocado em prática será muito bom pra gente agricultores”.

Sônia Magali Vieira de Sá é presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, participou do encontro e nossos Programas falando sobre perspectivas para um futuro próximo para a agricultura familiar daquele município, tomando como base as diversas ações e lutas já trabalhadas e que são equalizadas naquele conselho que acolhe as diversas representações ligadas a agricultura familiar em suas diversas instâncias. “Isso já vem sendo discutido há muitos anos e hoje chegamos a um ponto que podemos sentir e discutir de forma correta e coerente. E isso foi feito hoje de forma coerentíssima no sentido de que eles sabem mesmo o que querem e isso enriquece muito e me deixa feliz”.

Gilmar Aragão é agricultor e secretário adjunto da agricultura da Prefeitura de Queimadas e ao dialogar com nossa equipe comentou ter sido importante momento em que a prefeitura está buscando sintonizar suas ações com as diversas ações já trabalhadas pelas entidades da agricultura familiar municipal. “A sociedade civil tem papel fundamental em uma administração e tenho certeza que esse é um reconhecimento é público e notório e para que se faça uma boa administração precisamos estar com a entidade civil organizada e a secretaria tem aberto esse leque de trabalhar em conjunto com as entidades civil e acredito que isso aqui foi um ponta pé inicial para a gente desenvolver vários trabalhos, inclusive montar um plano municipal de desenvolvimento rural sustentável”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top