Regional Empaer Campina faz balanço do projeto algodão 2020 na Paraíba

A produção do algodão orgânico no Estado da Paraíba já pode estar sendo utilizado em metade dos 223 municípios paraibanos já que pouco a pouco mais famílias vão experimentando trabalhar a cultura utilizando dinâmicas de climas e solos de cada microrregião.

Entrevistado no Programa Domingo Rural da Rádio Serrana de Araruna e Rádio Stúdio Rural do último domingo(04), o extensionista da Empaer, gerência de Campina Grande, Ailton Francisco dos Santos, explicou que atualmente as entidades parceiras vêm fazendo um esforço no sentido de ampliar o cultivo nas dinâmicas de diversidade na agricultura familiar o que vem fazendo com que as famílias construam referência na cultura que historicamente é tida como complemento de renda no meio rural de nosso semiárido. “O algodão está expandido em todo o estado, no Sertão está muito forte na região de Piancó, de Itaporanga, Sousa, Princesa Isabel, Catolé do Rocha, então essas regiões do Sertão tem muita produção, vários municípios estão participando, nós temos também a região do Curimataú naquela região de Picuí, região de Solânea, região do Cariri temos produção do algodão na região de Monteiro e Serra Branca, Campina Grande nós temos o plantio do algodão também, então ele está bastante espalhado em boa parte do estado da Paraíba”, explica ao dialogar com o público ouvinte de nossas emissoras parceiras assegurando que já estamos com mais de 100 municípios e uma produção que poderá atingir algo superior ao produzido no ano passado quando contabilizou cerca de 200 toneladas de algodão.     

Ailton Santos explicou que o mercado para o produto é seguro, mas advertiu para o fato de que as famílias devem iniciar sua produção de forma planejada num processo de articulação com as entidades locais como associação de agricultores, sindicato, Embrapa, empresa de extensão, e empresas compradoras que garantam compra e assegurem preços de forma antecipada. “Temos muitas empresas com interesse em comprar o algodão, o algodão produzido pela agricultura familiar de forma agroecológica é um algodão de melhor qualidade, algodão com pouca sujeira, então as empresas têm mais confiança e menor custo na hora de beneficiar essa algodão”, explica dizendo que as famílias devem evitar trabalhar experiências de forma isolada, pois correrão o risco de sobrar com sua produção. “Essas parcerias são fundamentais, então tem que se ter um planejamento, tem que se ter uma conversa entre as várias entidades, tem que se ter a empresa de assistência técnica pra dar orientação necessária ao agricultor, tem que ter a empresa que vai comprar, tem que estar a pesquisa como no caso de nós aqui da Paraíba que temos a Embrapa que auxilia nesses projetos do algodão orgânico, temos a Empaer que faz a parte da assistência, temos a Copnatural que faz essa articulação todinha, temos a Norfil que compra, então há a necessidade de estar articulado ao se construir toda essa cadeia produtiva”. Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo