Sementes de feijão e milho são esperadas pela agricultura familiar do Cariri paraibano

As sementes de milho e feijão prometidas pelo governo federal para a safra 2008 é produto de preocupação por parte das famílias de agricultores do Cariri paraibano que fazem parte do Programa Garantia Safra do Governo Federal.

A questão sementes para a safra 2008 na agricultura familiar foi um dos temas em discussão por parte de secretários de agricultura, diretores de sindicatos de trabalhadores rurais, associações de agricultores, prefeitos dentre outras entidades preocupadas com o desenvolvimento da microrregião caririzeira e que tiveram reunidos na última quinta-feira(14) na cidade de Serra Branca.

Para o secretário de agricultura da cidade de Livramento, Eliomar Soares, é de fundamental importância as sementes estarem a disposição das famílias de agricultores antes das primeiras chuvas e neste período do mês de fevereiro já torna-se preocupante a falta do produto que tem importância para o desempenho da safra agrícola dos agricultores familiares. “Nós estamos aguardando as sementes de milho e também as sementes de feijão que virá este ano para contemplar nossos agricultores nos municípios, sementes essas que virão também para serem distribuídas ao público do Garantia Safra e já estamos aí chegando à segunda quinzena do mês de fevereiro então nada mais justo do que estas sementes possam chegar o quanto antes”, relata a liderança salientando que o gerente da Embrapa Transferência de Tecnologia, Heleno Alves de Freitas, havia tranqüilizado as lideranças municipais para o fato de que as sementes estarão chegando no início da segunda quinzena de fevereiro.

Ele disse que a expectativa é grande tanto por parte das lideranças locais quanto por parte das famílias de agricultores que costumam desenvolver o plantio nas primeiras chuvas de cada ano. “Uma das nossas preocupações é que essas sementes possam chegar antes do início do plantio porque se as sementes chegarem num calendário que venha ser tardio para o plantio com certeza ao invés de benefício ela poderá se configurar em prejuízos e é isso que nós não queremos e estamos aguardando e esperando que ainda este mês, até deste mês de fevereiro todas as sementes já tenham sido entregues aos agricultores para que na hora que Deus mandar as chuvas os agricultores já estejam com as sementes em suas residências e possam plantar e utilizar em suas glebas de terras”, reivindica Soares.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top