Sindicato dos jornalistas da Paraíba lança campanha por vacinação contra a covid-19 para profissionais da imprensa

Nesta terça-feira, 1º de junho, Dia Internacional da Imprensa, a Diretoria do Sindicado dos Jornalistas Profissionais da Paraíba (SindjorPB) lança a Campanha Estadual de inclusão dos profissionais de imprensa entre os grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização (PNI) de combate ao novo coronavírus. A iniciativa está em conformidade com a campanha nacional de vacinação contra a Covid-19 para jornalistas já lançada pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e outros sindicatos de todo o País. A Paraíba lidera o triste ranking de óbitos de jornalistas mortos pela Covid-19, no Nordeste.

A Campanha Estadual pela vacina para jornalistas será lançada no site oficial do SindjorPB (sindjorpb.com.br), nas páginas do Sindicato no Facebook (SindJornalistas PB) e no Instragram (Sindjorpb). A Campanha também estará na rua. A partir da 11h desta terça-feira 1º), a categoria estará em frente ao antigo Jornal Correio da Paraíba, Centro de João Pessoa, exigindo vacina no braço para os jornalistas.

Conforme dossiê da Fenaj, até o dia 23 de maio, foram 15 jornalistas mortos pela doença, na Paraíba. João Pessoa e Campina Grande detém 100% dos casos, sendo 55% na Capital e 45% em Campina. Com essa estatística, o Estado aparece na 5ª colocação entre os profissionais vitimados pela pandemia, no Brasil, atrás dos estados de São Paulo, Amazonas, Pará, Rio de Janeiro e Paraná. O acompanhamento dos números no Estado está sendo coletado e atualizado pelo Sindjor-PB e repassado à Fenaj.

Segundo o presidente do Sindicato dos Jornalistas da Paraíba, Land Seixas, até o final deste semestre, o Estado pode subir mais posições neste sinistro ranking de perdas de vidas. “Neste momento, a Paraíba está liderando as estatísticas, com mais profissionais vitimados pela Covid-19 no Nordeste. Das 55 mortes dos trabalhadores dessa área que perderam a vida na Região, o Estado detém alarmantes 27% dos casos. Isso representa percentuais 15% acima do Ceará e 16% a mais que Alagoas e Sergipe, estados que superaram Bahia e Pernambuco, detalhou o presidente.

Por conta desta situação, o Sindicato concretizou algumas estratégias para sensibilizar os órgãos públicos estaduais sobre a necessidade de colocar a categoria como grupo prioritário na vacinação. Recentemente, enviou um ofício à Secretaria de Comunicação do Estado, solicitando uma audiência com o governador da Paraíba, João Azevedo (Cidadania), para tratar sobre o assunto que preocupa não só os jornalistas, mas os familiares desses profissionais.

O Sindjor-PB também busca uma audiência com o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), com a mesma finalidade. O Sindicato ainda apoia iniciativas, como as propostas apresentadas pela deputada Estela Bezerra (PSB), na Assembleia, e do vereador, Emano Santos (PV), na Câmara municipal pessoense, que visam possibilitar a vacinação dos profissionais de imprensa.

Alguns estados já entenderam que os jornalistas também estão na linha de frente e precisam ser enxergados como grupo prioritário. O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), anunciou na sexta-feira (28), em coletiva de imprensa, que será iniciada a vacinação dos trabalhadores das empresas de comunicação. Já na Bahia, em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) realizada no dia 18 de maio, foi aprovada a inclusão de jornalistas com idade superior a 40 anos na vacinação contra Covid-19. O grupo prioritário abrange ainda fotojornalistas, repórteres cinematográficos e blogueiros registrados. A decisão da CIB será publicada no Diário Oficial do Estado na próxima quinta-feira (20).

Jornalistas mortos do Brasil – De acordo com a atualização realizada pela Press Emblem Campaing (PEC), organização não-governamental com sede em Genebra na Suíça, o número de jornalistas vítimas da Covid-19 no Brasil é de 196. Essa situação coloca o País em 2º lugar no ranking de óbitos pela doença no mundo, atrás apenas da Índia, onde o descontrole em relação a pandemia já vitimou mais de 221 profissionais da área. Na América, o Brasil mantém a trágica liderança geral do continente, apesar do aumento de óbitos entre jornalistas que, recentemente vem sendo registrado na Argentina, e supera os índices de países como Perú (161), México (109), Colômbia (61) e Estados Unidos (49).

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural / Sindjor-PB

2 Comentários

  1. Nadja -  1 de junho de 2021 - 15:21

    👏👏👏👏👏

    Responder
  2. Nadja -  1 de junho de 2021 - 15:22

    👏👏👏👏

    Responder

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top