Adjunto do MDA garante que governo está aberto ao diáloga sobre produção de sementes

O Ministério do Desenvolvimento Agrário através da Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário na Paraíba está aberto para dialogar com os setores da agricultura familiar e, em especial, com o segmento da agricultura agroecológica paraibana buscando melhorar o programa de produção de sementes do governo federal e, desta forma, melhorar a qualidade de vida e padrão produtivo das famílias agricultoras.

O argumento toma como base a entrevista concedida pelo delegado adjunto do desenvolvimento agrário no Estado da Paraíba, Antônio Alves(foto), que após participar do encontro das sementes na última quinta-feira(15) em Remígio falou sobre o esforço desempenhado pelo governo federal em produzir sementes para aqueles agricultores que já fazem parte do Seguro Safra e que estão nas regiões semi-áridas de estados do Nordeste, especialmente o estado da Paraíba.

Perguntado por nossa equipe sobre a proposta das entidades que compõe o Pólo Sindical de o governo trabalhar sementes a partir das propostas dos segmentos produtivos, ele disse não ter nenhuma proposta por escrito que possa contribuir para um trabalho de produção de semente tecnologicamente adaptável a região e que venha atender os padrões da pesquisa e atender ao mesmo tempo as reivindicações argumentadas naquele evento. “Eu acho que nós estamos fazendo uma boa discussão aqui na Borborema sobre o programa de sementes, é verdade que aqui para o Estado da Paraíba são quase 400 toneladas de sementes e nós não estamos aqui atrapalhando o processo que já existe, processo de sementes crioulas, sementes da paixão, inclusive eu fui participante muito antes de estar no Ministério, dessas discussões dos Bancos de Sementes, de valorizar as sementes existentes etc. agora o Ministério não recebeu a demanda do Estado da Paraíba dizendo: nós queremos tantas sementes assim e assado, então acho que o Fórum da Borborema ou outras regiões também dentro do processo de distribuição de sementes e de elaboração desse processo de sementes, ele tem que antes chegar pra nós e dizer: nós queremos 200 toneladas de milho assim ou assado e ou outra variedade”, argumenta a representação do MDA no Estado.

Ele aproveitou para informar que a discussão está evoluindo para um sistema futuro próximo de produção de sementes na própria região, cabendo os segmentos lançarem propostas que possam contribuir para a eficiência produtiva das variedades de interesse.  style=mso-spacerun: yes> 

A representação aproveitou para chamar a atenção dos prefeitos dos municípios de cada microrregião contemplada com programa de sementes para que negociem imediatamente suas contrapartidas com as comissões de sementes representante dos Fóruns para que as sementes que estão produzidas e armazenadas em Petrolina-PE possam ser transportadas para as terras paraibanas o mais próximo possível. “Essa semana visitei municípios do Cariri onde nem sequer a secretaria de agricultura tinha participado das reuniões e ao explicar sobre o programa e a importância da política hoje nesse governo que outrora nunca tivemos essa política e o prefeito absorveu isso tranquilamente, inclusive a prefeitura nem sequer o telefone está funcionando mas o prefeito na sua concepção de que tem que apoiar a agricultura familiar viu ser necessário fazer esforço, então na medida em que se o governo federal não trouxer a semente aqui os municípios vão ter que arcar, isso não vai ser grandes coisas, Basta você pegar as toneladas de sementes aqui da região do território e divida pelos municípios de forma proporcional que verá a importância”, animou o adjunto do desenvolvimento agrário na Paraíba.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top