Agricultores organizam produção de mel em Bananeiras e passam de 04 para 28 toneladas em três anos

Famílias de agricultores de diversos municípios do Brejo e Curimatau paraibano estão trabalhando a produção de mel e criação de abelhas buscando agregar valor no modelo de agricultura e diversificar objetivando aumentar o orçamento financeiro da família. A prática vem melhorando a qualidade de vida dos agricultores e ao mesmo tempo estimulando o plantio de variedades vegetais que melhorem a riqueza de plantas nativas e exóticas, de olho na florada que beneficia as abelhas no fabrico do mel e melhorando a qualidade e equilíbrio do meio ambiente.

Para facilitar a capacitação em torno do modelo de produção, a capacitação das famílias de agricultores no manejo integrado das abelhas na agricultura familiar e ao mesmo tempo conquistar o mercado consumidor as famílias se organizaram através de um entreposto com sede na cidade de Bananeiras, Brejo Paraibano. Denominado de Projeto Apis, o entreposto criou as condições de produção, agregação de valor e comercialização do produto.

Na última terça-feira(18), a equipe Stúdio Rural foi a cidade de Bananeiras, visitou o Projeto Apis, entreposto responsável pela organização dos agricultores apicultores e conversou com o presidente do trabalho cooperado, Paulo Rech, que passa todas as informações de como funciona o trabalho. ”O projeto Apis é um projeto que nasceu entre 2004 e 2005 e tem por objetivo desenvolver a apicultura na região do Brejo, Curimatau e Agreste paraibano”, argumenta Rech, acrescentando que o trabalho iniciou em seis municípios e trinta famílias, tendo hoje 20 municípios e 226 pessoas envolvidas no projeto produtivo, recebendo assistência técnica e capacitação na lida com as abelhas nativas e africanizadas além das ações integradas a exemplo do processo de reflorestamento.

Paulo disse que no início tudo foi mais difícil, mas ao longo do projeto e, ao ver os resultados alcançados, as famílias sentiram-se estimuladas a entrarem no processo produtivo. “Hoje a gente não está em mais municípios por falta de condições de pessoal já que tudo envolve muito custo’, relata, complementando que são inúmeras as pessoas que procuram a Apis interessadas em entrar no projeto.

No início do projeto o grupo produziu em torno de quatro toneladas de mel e no próximo levantamento que está pra sair a equipe acredita numa produção superior a vinte e oito toneladas do produto que ainda é consumido pelas famílias e o excedente vendido no mercado local. Uma parceria está sendo construída com o governo federal através da Companhia Nacional de Abastecimento(Conab), no PAA, Programa de Aquisição de Alimentos.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top