Coletivo Regional realiza encontros em Soledade, Olivedos e Pocinhos

Agricultores e agricultoras familiares agroecológicos vinculados ao Coletivo Regional do Cariri, Seridó e Curimataú participaram, na última quinta-feira dia 05 de agosto, de reuniões nos municípios de Olivedos, Soledade e Pocinhos através de três Comissões Temáticas que trataram água, criação animal e sementes, plantas e frutas nativas.

Uma das comissões se reuniu na comunidade Malhada de Areia, município de Olivedos, na propriedade do casal agricultor Mário José de Couto e a esposa Maria Paula Imperiano de Couto para discutir sementes, plantas e frutas numa dinâmica das missões da semente da paixão.

A segunda comissão se reuniu na comunidade Açude Velho de Soledade, propriedade do agricultor Aldo Costa e família e discutiu as ações com recursos hídricos e ações integradas na unidade rural produtiva.

A terceira equipe se reuniu na comunidade Teotônio de Pocinhos, propriedade da família do agricultor Manoel José Pereira de Oliveira, Manoel Pindoba, discutindo as ações sustentáveis em criações animais.

Antônio Carlos Pires de Melo, Tonico, é assessor da ONG PATAC, e disse do objetivo dos encontros, explicando que mensalmente o Coletivo reúne as três comissões temáticas responsáveis pelo processo de formação que envolve famílias agricultoras de dez municípios daquela região. “Então essas comissões são responsáveis pelo processo de formação para a gente aprofundar conteúdos referentes a esses três temas estratégicos. Hoje na comissão água a gente socializou como vem ocorrendo as oficinas no campo do manejo da água, preparamos um evento com as famílias que possuem barragens subterrâneas na região, foi um momento muito importante nesse sentido de discutirmos como está o estoque de água em cada comunidade. Já na comissão de sementes, plantas e frutas foi feito um balanço do trabalho das missões da semente da paixão, a comissão de criação também trabalhou várias questões relacionadas a sanidade animal, então foram momentos muito importantes e todos os meses a gente junta aproximadamente 100 famílias agricultoras que trabalham e aprofundam esses três temas estratégicos”, explica Tonico ao contatar com os ouvintes do Programa Domingo Rural deste domingo, 08 de agosto.

Maria do Carmo Silva, Maria de Seu Dudú, é agricultora residente no Assentamento Belo Monte, município de Pedra Lavrada, participou da comissão em Olivedos, e disse acreditar ser atividade que só vem contribuir com contribuir com as boas práticas nas atividades rurais e processo de estruturação das pequenas unidades agroecológicas de produção citando como exemplo o trabalho que vem sendo feito com bancos de sementes da paixão e com a diversidade das plantas medicinais.

Rosimare Alves Silva á agricultora na comunidade Canoa de Dentro, município do Pedra Lavrada, disse que a cada reunião tem sido instrumento de nova aprendizagem e conhecimentos de novas alternativas para a convivência na região semiárida com uma prática de compartilhamento de agricultores para agricultores e garante que os temas vem a cada dia mais aprofundados numa visão que não se limita a produção pela produção, mas dentro de uma visão de sustentabilidade.

Já Aléx Barbosa dos Santos, residente na comunidade São Félix de Santo André, é componente do Coletivo Regional e fez uma avaliação do encontro realizado na comunidade Açude Velho de Soledade, onde se discutiu as estratégias e ações desenvolvidas com recursos hídricos através da comissão água onde foi visitada a experiência da família do agricultor Aldo Fernando da Costa, onde as famílias visitantes conheceram de perto as ações diversas na unidade rural familiar. “É porque a gente está fazendo, na região do Coletivo, um monitoramento das ações e os impactos dela, principalmente no foco com barragem subterrânea, e aí quando a gente fez o monitoramento e fomos na propriedade de Aldo pela primeira vez a gente viu que era uma experiência boa pra se mostrar para o Coletivo e pra as demais lideranças dos municípios. E aí foi hoje esse encontro lá onde a gente foi visitar a barragem subterrânea, vimos que ele está trabalhando bem a questão da produção de ração para a criação animal, ele já tinha feito três silagens com 40 mil quilos de silagem, então a gente vê que de fato a barragem subterrânea dele está funcionando, para o fim que foi destinada está bem aproveitado mesmo e é uma experiência que dá certo para a região do Cariri e para o semiárido como um todo”, explica o jovem agricultor mobilizador.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top