Duas novas empresas serão incubadas com tecnologias da Embrapa

Foram selecionadas mais duas empresas a serem incubadas com tecnologias da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa: La do Sítio, em Fortaleza-CE, e Prisma Agroindustrial, em Cuiabá-MT. Ambas consolidam o novo modelo de incubação de agronegócios adotado pela Embrapa no qual uma tecnologia desenvolvida em uma Unidade da Empresa é disponibilizada para utilização em qualquer ponto do País onde existam incubadoras de empresas que mantenham convênios de parceria com a Embrapa.

Segundo a assessora da Embrapa Informação Tecnológica, Flávia Bessa, a La do Sítio vai produzir mandioca-palha, chips de mandioca e mandioca-palito em Fortaleza (CE) usando tecnologias desenvolvidas pela Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical (Cruz das Almas-BA) em parceria com a incubadora PADETEC e com a participação da Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza-CE). “O período de pré-incubação está previsto para seis meses e ainda em 2009 será iniciada a fabricação e comercialização dos produtos”, relata Bessa ao contatar com Stúdio Rural, acrescentando que inicialmente será atendido o mercado cearense, mas há planos de expansão para o Nordeste e o restante do País, e que o contrato de incubação será assinado neste mês de janeiro.

Aquela assessora informou que a Prisma Agroindustrial vai produzir amaranto e seus derivados, pseudo cereal originário da Cordilheira dos Andes introduzido no Brasil pela Embrapa Cerrados (Brasília-DF) e que já tem uma cultivar lançada: BRS Alegria. “O amaranto tem boas propriedades nutricionais, podendo ser utilizado como grão ou farinha”, relata, lembrando que a principal característica do produto é a ausência de glúten, o que o torna indicado para o consumo dos portadores da doença celíaca.

A estimativa, segundo a jornalista, é que existam, no Brasil, cerca de 3 milhões de celíacos (que têm graus variados de intolerância ao glúten), que têm no amaranto alternativa saudável para alimentação na forma de grãos, pães, macarrões, bolos, biscoitos e outros pratos que utilizem farinhas em sua preparação. “A empresa ficará instalada na multi-incubadora Arca, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e vai produzir amaranto em grão, semente e farinha e derivados na cidade de Sorriso (incubação a distância). A expectativa é de que o plantio em escala comercial seja realizado por volta de setembro ou outubro do ano que vem, seguindo a safra agrícola regional”, explica.

O Proeta – programa de incubação de agronegócios da Embrapa – busca realizar a transferência de tecnologias e produtos desenvolvidos pelas diversas Unidades da Embrapa, ou que estão em fase final de desenvolvimento, para empresas que venham a finalizá-los e comercializá-los. O Programa resulta de um convênio assinado pela Embrapa com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) com apoio do Fundo Multilateral de Investimento (Fumin).

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top