Extensionistas e agricultoras da Borborema participam de curso sobre educação alimentar

Agricultoras de cidades do Compartimento da Borborema e extensionistas da Emater Regional Campina Grande participaram do curso de educação alimentar do Programa Sesi Cozinha Brasil, desenvolvido pelo Sesi em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome objetivando levar até a população as orientações sobre uma alimentação nutritiva de baixo custo dentro de uma lógica de sustentabilidade regional.

O curso aconteceu da segunda (05) a quinta-feira(08) no escritório regional da Emater, em Campina Grande e segundo Vitória Aparecida Pereira Vitor, extensionista daquela unidade regional, ao falar com Domingo Rural, a importância maior foi proporcionar a formação de multiplicadores na lógica do melhor aproveitamento da alimentação, principalmente no meio rural, campo de ação das extensionistas sociais e rurais da empresa que agregarão valor na forma de produzir e ao mesmo tempo de consumir os produtos. “A Cozinha Brasil discute muito essa questão da qualidade do produto e a Emater por si só já trabalha a questão da transição, porque a gente ainda não está com produtos ecologicamente corretos, o orgânico, nós ainda estamos em processo de transição”, relata Vitória dizendo acreditar que na base será feito um esforço para que as famílias utilizem melhor os alimentos com mais saúde e menos gastos financeiros.

A extensionista da Emater de Caturité-PB, Maria Salete Brasileiro, disse que o curso teve importante valia porque além das famílias aproveitarem melhor produtos importantes na hora de fazer os alimentos fará mais economia. “Para que o custo seja baixo, a gente deve aproveitar gradativamente os alimentos da época, então no inverno você tem os vegetais, como o feijão, então você vai trabalhar com feijão com as donas de casa nas reuniões das associações, então tudo num período de época, hortaliças, frutas também dentro da época de cada fruta”.

Maria Luzinete é agricultora no município de Campina Grande, participou do encontro e falou sobre as vantagens de ter recebido os conhecimentos. “Tem sempre novidades, aprendemos as coisas que a gente não sabia na roça pra fazer alimentos na nossa casa”, explica e garante que a partir de então vai aproveitar melhor diversos produtos na agricultura desenvolvida na unidade rural e que compartilhará os conhecimentos através da associação de agricultores e agricultoras da qual faz parte.

Isabella Karla coordenou os trabalhos na condição de nutricionista do SESI e disse que o Programa já consta de conteúdos a serem destinados a turmas de multiplicadores onde com 24 horas de aula os participantes ganham conhecimentos de como podem se alimentar melhor a partir da correta utilização integral dos alimentos e daí poderem passar esses conhecimentos para a comunidade. “A gente aproveita as cascas, os talos, as ramas das hortaliças, então teve uma coisa que elas acharam muito interessante que foi a utilização da casca do abacaxi na produção de suco, ou até mesmo aquele bagaço que fica na peneira para estar produzindo doce da casca do abacaxi, então eram coisas que elas não tinham conhecimentos, eles não tinham conhecimentos antes e ficaram tendo através do curso”, relata Karla ao ser entrevistada no Domingo Rural deste domingo(11).

O Curso de Educação Alimentar teve o objetivo de tornar o participante apto na escolha dos alimentos por seu valor nutritivo, preço e apresentação; consumir alimentos em quantidades adequadas, considerando as condições de higiene dentre outros importantes fatores e as pessoas e entidades interessadas devem procurar o SESI mais próximo.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top