Incra e Sebrae estudam parceria para desenvolver assentamentos paraibanos

Uma parceria entre o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na Paraíba e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PB) deve alavancar o desenvolvimento dos Projetos de Assentamento (PAs) paraibanos a partir da organização da cadeia produtiva.

A informação foi repassada pela assessora de comunicação do Incra-PB, Kaliandra Vaz, justificando que as primeiras discussões sobre as ações conjuntas foram realizadas na última segunda-feira(14), durante o “Encontro para Socialização das Políticas Públicas Incra/Sebrae-PB”, no Auditório Dona Flor de Camucim, na sede do Incra-PB em João Pessoa. “Servidores das duas entidades discutiram questões como o modelo de gestão estratégica para resultados e ações prioritárias das atividades desenvolvidas pelo Sebrae-PB para a agricultura familiar”, justifica a jornalista, acrescentando que o objetivo é mudar a idéia de que os PAs produzem apenas para garantir a sobrevivência das famílias e estudar formas de melhorar e escoar a produção, estimulando o desenvolvimento sustentável dessas comunidades e que atualmente, mais de 20 mil famílias vivem em 263 PAs no Estado. Em muitas comunidades a agricultura tradicional ainda é a principal fonte de renda para as famílias.

Ao contatar com a equipe Stúdio Rural, Vaz informou também que houve espaço para o relato das ações que resultaram da parceria entre o Incra e o Sebrae no estado do Ceará na área de Assessoria Técnica, Social e Ambiental para a Reforma Agrária (Ates), relatando que entre os projetos destacam-se os de piscicultura, bovinocultura, apicultura e arte e cultura, que já revelou aproximadamente 75 grupos artísticos em PAs cearenses.

Vaz disse que o diretor superintendente do Sebrae-PB, Júlio Rafael, disse acreditar que a parceria com o Incra-PB pode contribuir para o desenvolvimento dos PAs principalmente no que se refere à produção de alimentos, dizendo ser importante desenvolver ações que contribuam para aumentar a produção para atender a demanda crescente de alimentos, que já vem sendo tratada como crise mundial. “Para Frei Anastácio, superintendente do Incra-PB, a parceria deve alavancar o desenvolvimento dos PAs paraibanos a partir da oferta de capacitação aos assentados, assistência técnica permanente, de uma melhor organização da produção e da comercialização dos produtos em feiras agroecológicas”, acrescenta Kaliandra.

A jornalista informou que a asseguradora do Programa Terra Sol, a servidora do Incra-PB, Lígia Maria de Medeiros Silva, apresentou as diretrizes do Programa, que, a partir de convênios e parcerias com Organizações Não-Governamentais (ONGs) e entidades como o Sebrae busca criar meios para o desenvolvimento sustentável e a qualificação da reforma agrária no Brasil, garantindo que o Programa apóia organizações de agricultores assentados, estimulando a agroindustrialização, o agroextrativismo e a capacitação de técnicos e assentados. “Como exemplo de sucesso do Programa Terra Sol, do Incra, o catarinense Paulo Rech, presidente da Associação de Promoção do Desenvolvimento Sustentável (Aprodes), que reúne apicultores das regiões do Brejo e Piemonte da Borborema, relatou a experiência de desenvolvimento da apicultura em PAs paraibanos em parceria com o Incra-PB, o Sebrae-PB, a Petrobras, o Banco do Brasil e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB)”, justifica Vaz.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top