Juventude camponesa discute rumos dos jovens na agricultura familiar agroecológica

Entidades da agricultura familiar agroecológica do Território da Borborema realizaram nos dias 27 e 28 de agosto, no Hotel Fazenda Day Camp, em Campina Grande, o I Encontro da Juventude Camponesa do Pólo da Borborema.

Domingo Rural acompanhou o encontro que contou com cerca de 70 jovens de 15 municípios do Pólo, e teve por objetivo construir coletivamente uma leitura sobre a realidade no contexto da agricultura familiar camponesa e elaborar um programa de formação mais permanente junto aos jovens e fortalecer a auto-organização da juventude no Pólo da Borborema.

No encontro foram apresentadas seis carrosséis com experiências dos jovens agricultores e agricultoras: Edilma da Silva Alves, residente no Sítio Capivara III de Solânea; João Duarte Pereira, residente no Sítio Malhada de Dentro, município de Algodão de Jandaíra; Izonaide de Macena, com o trabalho de produção agrícola coletivo dos jovens das comunidades Palma, Bom Sucesso e Goiana de Solânea; José Inácio Neto, residente na comunidade Ribeiro de Alagoa Nova e atua com produção de horticultura e vende nas feiras agroecológicas de Campina Grande, Esperança e Alagoa Nova e a experiência das jovens agricultoras Josefa Rego Silva e Gabriele Galdino dos Santos, residentes na comunidade Aningas de Massaranduba e que estão iniciando um trabalho coletivo de produção de horticultura coletiva e diversificada.

“Eu contei uma história lá do interior de onde eu vim, como foi a história de meus pais, como que eles fizeram para hoje eu ser que eu sou dentre outras coisas”, explica Edilma da Silva Alves, do Sítio Capivara de Solânea.

“Para o público que está aqui presente a gente apresentou a experiência do nosso grupo de jovens ‘Construindo para o futuro’ da comunidade Palma, Goiana e Bom Sucesso, no município de Solânea, relatando um pouco sobre nossa experiência que o grupo vem fazendo atualmente, mas focando principalmente o trabalho do roçado comunitário. É um roçado aonde a gente teve a experiência de plantar diversas culturas, mas também focada no algodão agroecológico que foi de grande sucesso, uma experiência boa para o grupo e que atualmente a gente dar graças á Deus por ter tido essa iniciativa e vê que a nossa experiência está sendo gratificante pra nós e para as pessoas que muitas vezes não davam oportunidade para o jovem, e a gente vê isso hoje aqui presente onde a gente está passando nossa experiência para eles”, comunica a jovem agricultora Izonaide de Macena.

Foi apresentado muita coisa importante, foi apresentado minha família, foi apresentado a minha vizinhança aonde eu moro, as plantas medicinais. Muitos na minha terra que quando eu cheguei não tinha nada lá, era um deserto só tinha só agave, uns pés de plantas muito pouco e a gente foi construindo e hoje em dia tem de tudo um pouco”, dialoga Joâo Duarte Pereira em contato com os ouvintes das emissoras parceiras de Domingo Rural.

“Apresentei experiência das hortas, produtos naturais sem uso de venenos. Meu pai e meus irmãos e a gente trabalha na agricultura familiar e já faz quinze anos que deixemos de usar venenos porque faz muito mal para nossa pessoa”, explica José Inácio Neto, residente em Alagoa Nova, argumentando que o produto da família já é vendido em mercados diversos da Paraíba e Rio Grande do Norte.

Manoel Roberval da Silva é componente da AS-PTA e garante que as entidades parceiras saem felizes do evento porque já percebem resultados positivos que elevarão a agricultora familiar que discute as ações voltadas para o agricultor, para a mulher camponesa e que a partir de então passa a discutir e planejar ações capazes de gerar cultura, geração e renda para a juventude camponesa. “Acho que está atingindo os nossos objetivos de construir coletivamente uma visão coletiva da história da agricultura camponesa na região da Borborema e o papel que a juventude tem nessa construção coletiva”.

Nelson Ferreira dos Santos é componente do Pólo Sindical e das Entidades da Borborema, e disse ter sido um evento satisfatório já que contou com o público estabelecido para a realização de todas as atividades trabalhadas para a busca de políticas públicas que pense o potencial de juventude camponesa. “É daqui que sai uma comissão temática com o tema juventude camponesa e que essa comissão possa estar se articulando para garantir o espaço político do jovem na dinâmica do Pólo Sindical da Borborema”.

Alexandre Eduardo é professor da Universidade Federal da Paraíba, Campus Bananeiras e garante que aquele centro de educação é parte integrante na construção de toda a dinâmica que é trabalhada no meio das entidades da ASA Paraíba. “UFPB é parte nesta construção, parte dessa função da universidade do ensino, pesquisa e extensão e aí uma universidade comprometida com o fortalecimento da região a partir do que nós temos de mais forte que são as pessoas ao se comprometer com essa juventude, se comprometer com a sustentabilidade, com o futuro do nosso estado e em especial com nosso território da Borborema e se comprometer também com o fortalecimento desse espaço tão importante que é formado pelos agricultores e agricultoras que fazem agricultura familiar do nosso estado e que colocam o alimento na nossa mesa, contribuir com esse espaço dos sindicatos dos trabalhadores rurais, das associações da agricultura familiar é uma das funções que toda instituição de ensino deve estar atenta porque são essas pessoas que organizam e se reorganizam na busca de contribuir com melhorias para continuidade das pessoas no campo”.

Raquel Nunes de Oliveira é jovem agricultora do Coletivo Regional do Cariri Seridó e Curimataú e fez de uma comissão que expôs as ações desenvolvidas naquele território e, ao dialogar com Stúdio Rural falou sobre as ações e conhecimentos que foram compartilhados. “Nós da região do Cariri, da organização do Coletivo, trouxemos nossa experiência da juventude camponesa lá da região para transmitir a mensagem da juventude da Borborema para que eles possam fortalecer suas ações na agricultura familiar”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top