Organização desenvolve trabalho com plantas medicinais em Nova Palmeira

A ONG CENEP, Centro de Educação Popular está desenvolvendo um trabalho com plantas medicinais na cidade de Nova Palmeira envolvendo agricultores e a sociedade em geral que tem nas plantas uma alternativa de prevenção e cura de problemas de saúde através das plantas beneficiadas em laboratórios.

O tema foi trabalhado nos Programas e Emissoras parceiras de Stúdio Rural que falou com a coordenadora daquela ONG, Maria de Lourdes Gomes de Lima, Nêga Lurdes(foto), explicando os trabalhos que são desenvolvidos por aquela entidade.

Ela disse que style=mso-spacerun: yes> desde cerca de 18 anos a entidade vem desenvolvendo um trabalho em parceria com as mães agricultoras a partir de um trabalho com a igreja local a exemplo de xaropes, lambedores, remédios para piolho, coceira, experiência que começou com as crianças e que, com os resultados apresentados, a ONG intensificou a fabricação dos fitoterápicos e hoje a prefeitura local já adotou como programa municipal do uso dos produtos vindos da terra. “Já está sendo discutindo no consórcio do Curimataú, a gente já teve seminário, discussões e já tem quatro municípios introduzindo os fitoterápicos na saúde pública e ficamos contentes com isso porque está gerando renda, a questão da agricultura familiar, a questão do reflorestamento, a gente está fazendo esse trabalho também de meio ambiente porque a gente precisa das plantas e a gente está reflorestando juntamente com os agricultores”, relata Nêga.

Ela falou sobre as experiências e resultados alcançados no uso dos produtos das plantas medicinais desenvolvidos naquele município e disse que é uma forma das famílias trabalharem saúde a partir de um processo de conscientização e que tem proporcionado uma grande economia já que são produtos acessíveis as famílias agricultoras que não precisam está todo tempo na busca de farmácias, hospitais e laboratórios.

Para expandir as experiências a organização desenvolveu uma cartilha informativa denominada de “Plantas Medicinais: uma experiência que deu certo” e que está sendo pouco a pouco acessível as famílias agricultoras e a sociedade em geral.

Aquela diretora informou ainda que a entidade desenvolve quatro linhas de ação que são: saúde focada no uso das plantas medicinais, meio ambiente com o processo de reflorestamento, educação popular através de um projeto de leitura atendendo mais de mil crianças através de uma biblioteca ambulante e educação com a implementação de hortas na agricultura familiar e o uso dos produtos na alimentação permanente como forma de conquistar a saúde.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top