Representante da Embrapa afirma que ações da pesquisa estão mais próximas da agricultura regional

O gerente de negócios da Embrapa Transferência de Tecnologias, em Campina Grande, Lenildo Dias de Morais, garante que as ações de pesquisas da Embrapa estão cada vez mais próximas da agricultura e do agricultor de todo o território nacional a exemplo da agricultura e pecuária do Estado da Paraíba que estão tendo acesso as tecnologias da Embrapa Algodão e tecnologias das unidades espalhadas por todo o Brasil.

Objetivando tratar de forma ampla sobre as ações da Embrapa, ele participou, neste sábado(16/05), de entrevista no Programa Ponto de Vista da Rádio Serra Branca FM, na cidade caririzeira de Serra Branca, divulgando as culturas trabalhadas na unidade de pesquisas de Campina Grande e evidenciando as ações em produção de sementes destinada as famílias de agricultores de toda região.

Entrevistado pelo radialista, Josiel Cordeiro, aquele gerente evidenciou a importância do trabalho feito pela Embrapa, em Campina Grande que, lembrou ele, vem fazendo um trabalho com pesquisas em torno da cultura do algodão, sisal, mamona, gergelim e amendoim e ao mesmo tempo viabilizando todos os segmentos desenvolvidos por diversas outras unidades espalhadas por todo o Brasil a exemplo da caprinocultura com unidade em Sobral-CE, culturas diversas, especialmente o umbu, que são pesquisadas pela Embrapa Semiárido de Petrolina-PE dentre outras unidades que trabalham pesquisas com culturas de importância para o desenvolvimento da agricultura e a economia brasileira.

Ele disse que os escritórios da Emater têm sido parceiros importantes na extensão das informações pesquisadas pela Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias e lembrou que as pessoas interessadas podem fazer contatos com os escritórios da extensão paraibana e mesmo de forma direta com a Embrapa Algodão, em Campina Grande, que faz a aproximação dos setores de governo e produtivos com as unidades de pesquisas em todo o Brasil. “Nós sempre recomendamos que primeiro o agricultor ou agricultora procure primeiro o serviço de extensão rural que é o órgão responsável para que a assistência técnica chegue de fato e que trabalha sempre em parceria conosco, mas caso a própria extensão rural não tenha aquela informação naquele momento o agricultor, associação ou representante pode nos procurar diretamente que a gente buscará a informação”, argumenta Dias, lembrando o papel das entidades de agricultores como complemento do trabalho no compartilhamento das tecnologias melhoradas.

Ele falou sobre a parceira feita com as prefeituras e o MDA com o programa de sementes destinado a agricultura familiar da região, justificando que o Governo Federal compra a semente pesquisada e produzida pela Embrapa e, através da parceria com as secretarias municipais de agricultura e Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural, fazem a distribuição junto ás famílias de agricultores que fazem componentes do Programa Garantia Safra e disse ser de fundamental a criação de bancos municipais e comunitários de sementes.

Para aquele gerente é de fundamental importância se fazer um trabalho a cerca das tecnologias na cultura do umbu, evidenciando que a Embrapa de Petrolina está desenvolvendo um trabalho com a reprodução, beneficiamento e mercado do umbu em parcerias com entidades de agricultores e agricultoras na região semiárido brasileiro, especialmente em Pernambuco e Bahia, evidenciando a importância de trazer para a Paraíba à prática de se trabalhar a agregação de valor da cultura.

Dias informou que a Embrapa, juntamente com o Governo Federal, está criando melhores condições para a juventude rural e garante que uma das medidas mais importantes é o acesso as tecnologias de beneficiamento e agregação de valor as culturas produzidas citando como exemplo máquinas para o beneficiamento dos produtos do algodão para a agricultura familiar a exemplo de máquinas descaroçadeiras e prensa móvel para o algodão que a Embrapa estará lançando em breve, fazendo com que as famílias agricultoras ao colher o algodão possam beneficiá-lo na própria propriedade gerando mais valor ao produto que já é produzido de forma agroecológica e proporcionando mais trabalho e renda no meio rural.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top