UFCG faz doação de recurso para compra de semente e soerguimento do alho em Cabaceiras

Entregar os recursos na ordem de R$ 3 mil reais para o soerguimento da cultura do alho em Ribeira de Cabaceiras foi um dos objetivos de um encontro que aconteceu na última quinta-feira(30/04) na ARPA, Associação Ribeirense dos Produtores de Alho e que contou a participação de entidades parceiras, diretores da Associação e agricultores produtores de alho associados daquela casa organizativa.

Na ocasião, o representante da UFCG, Universidade Federal de Campina Grande e Fundação Parque Tecnológico da Paraíba, Vicente de Paulo Albuquerque Araújo, fez a entregue de um cheque na ordem de R$ 3 mil reais destinados a compra da semente do alho para o plantio 2009 e agendou a ida de um caminhão daquela casa universitária para colocar cerca de 22 carradas de estrume para o preparo do solo e consequentemente o plantio desta safra que se dará no meado deste mês.

Já a Embrapa Algodão, através de seu representante Heleno Alves de Freitas, fez a entrega do combustível necessário para ser usado no trabalho de preparo do solo com tratores da Prefeitura Municipal de Cabaceiras.

Esse foi um dos temas trabalhados pelos Programas e Emissoras parceiras de Stúdio Rural durante essa semana evidenciando a realidade pela qual aquela comunidade passou em razão da falta da compra da máquina por parte da Coopagel (gestora dos recursos advindos da Petrobrás) para beneficiar a colheita de alho da produção nas safras 2007 e 2008, levando aquelas famílias a experimentarem um prejuízo que por pouco não lhes tirou definitivamente da atividade.

No final da reunião Stúdio Rural entrevistou o produtor de alho e associado da ARPA, Genário Janúncio de Farias, que falou sobre o papel decisivo das entidades parceiras, especialmente a UFCG, em tirarem a associação e associados de uma situação crítica sem precedentes em toda a história daquela comunidade. “Foi muito decisivo prá nós a decisão da Fundação Parque Tecnológico que se não fosse isso, praticamente tinha acabado e eu não tinha condições de plantar mais alho esse ano”, ilustrou o agricultor eu disse ser animador a nova realidade apontada para aquela comunidade.

O representante da Embrapa Algodão, Heleno Alves de Freitas falou da nova expectativa para o sistema de produção na safra 2009 e disse que a Embrapa está na parceria de forma decisiva entrando com tecnologias e ações logísticas capazes de retomar a produção da cultura. “A Embrapa entra com a parte de conhecimentos e técnicos, capacitação, também entrou com a parte de recursos na questão do óleo para fazer os maquinários cortar e preparar a terra e semear a semente e estamos integrados no sentido maior: queremos recuperar a semente do alho branco de Cabaceiras”, complementa Alves de Freitas.

O professor da UFCG falou aos ouvintes das emissoras parceiras sobre o esforço feito pela Fundação e sobre o acompanhamento que será feito durante toda a construção para o novo momento em Ribeira de Cabaceiras e garante que esse é o papel da UFCG enquanto instrumento de ensino, pesquisa e extensão. “Já foi feito uma programação financeira que vai viabilizar o processamento desse alho em seis meses garantindo o pagamento de 50% que foi comprometido com a Conab, a universidade vai dar o apoio no manejo, esterco a partir dos dias 06 e 07 de forma que graças á deus as coisas estão sendo bem encaminhadas, vamos ajudar na divulgação do material, estamos elaborando um catálogo de produtos do semiárido e estamos incluindo o alho aqui da Ribeira, vamos auxiliar também a comunidade na divulgação do alho da Ribeira no evento do Bode Rei, enfim são muitas coisas que estão sendo trabalhadas na parceria com a Embrapa, com a prefeitura de Cabaceiras que vai retomar o apoio de forma forte de forma que os parceiros estão se sentindo motivados estimulados e com a graça de Deus nós vamos conseguir retomar essa produção e trazer a alegria desta comunidade por ser considerada uma comunidade que produz um alho de excelência, agroecológico e livre de agrotóxicos”, avalia Vicente.

Para o presidente daquela associação, Carlos José Duarte Pereira, a ação das parceiras mostra novo caminho na busca de novas alternativas para um novo processo produtivo destinado a comunidade Ribeira que já figurou como uma das maiores produtoras de alho de todo o Brasil. “Hoje nós colocamos isso em nossa reunião que foi um passo muito importante essa de ter uma entidade que puxe e que as outras que já estavam no processo se fortaleçam diante de todas essas discussões”, esclarece Duarte Pereira, adiantando que daqui pra frente reuniões constantes serão feitas para avaliação das atividades e correção de rumos quando necessário.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top