Ceará realiza Encontro Latino-americano de algodão orgânico e pesquisadores expõem experiência paraibana

Agroecologia, Agricultura Familiar e Comércio Justo, esse foi o tema trabalhado no III Encontro Latino-americano do Algodão Orgânico que aconteceu na cidade de Quixadá durante os dias 02, 03 e 04 deste mês e que contou com a participação dos pesquisadores da Embrapa Algodão, Luis Paulo e Melchior Anaelson Batista.

O Encontro objetivou promover o intercâmbio de experiências entre participantes de programas de produção de algodão agroecológico da América Latina, com a finalidade de fortalecer e ampliar sua produção e comércio.

O pesquisador da Embrapa Algodão Melchior Naelson Batista, ao contatar com Stúdio Rural informou que participaram agricultores e organizações do Peru, Nicaragua e Paraguai, que intercambiaram as experiências com agricultura familiar na produção de algodão colorido e agroecológico. “Tem sido bom para os agricultores conhecer outras experiências, a gente tem fortalecido uma rede não só na Paraíba, uma rede que envolve os estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará, então isso é bom porque só temos a evoluir”, argumenta Melchior.

Agroecologia e o algodão orgânico no Brasil; O processo produtivo no Paraguai; Experiências de agricultores familiares de algodão agroecológico no Ceará; Experiências no Peru e Nicaragua; A experiência do algodão orgânico no Paraná; Experiências de agricultores familiares no semi-árido da Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte na produção agroecológica do algodão; O algodão agroecológico e o papel da pesquisa pública no Brasil são exemplos dos temas trabalhados no evento que teve a promoção da Organic Exchange, Esplar, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Quixadá, Adec e Instituto de Economia Agrícola de São Paulo.

Batista disse que no Ceará este ano há uma expectativa de produção com cerca de 350 a 400 agricultores em razão do modelo de organização, salientando que a Paraíba vem em seguida com uma capacidade de aumento na produção e produtividade. “Aqui no estado da Paraíba nós tivemos em 2007 próximo a 50 agricultores e mais dois grupos coletivos que plantaram algodão agroecológico com uma produção de 27 a 28 toneladas de algodão que foi vendido para o mercado orgânico, além desse algodão dentro da mesma perspectiva também foi produzido gergelim, amendoim, feijão e milho não sendo apenas o algodão que participa do projeto”, informa o pesquisador, acrescentando que em 2008 já estão surgindo outros grupos de agricultores interessados na produção nos municípios de Teixeira e Soledade, acreditando que em 2008, só no núcleo do Compartimento da Borborema, a produção possa chegar a 50 toneladas, num trabalho que envolverá cerca de 100 famílias de agricultores.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top