Coordenadora do Polo evidencia 10ª marcha pela vida das mulheres da Borborema

Objetivando evidenciar detalhes da 10ª Marcha pela vidas mulheres e pela agroecologia que acontece nesta quinta-feira, 14 de março, na cidade de Remígio, Agreste paraibano, a componente do sindicato dos rurais daquele município, Maria Giselda Bezerra Lopes, participou do Programa Domingo Rural e Programa Esperança no Campo do último final de semana.

Domingo Rural e Esperança no Campo evidenciaram a trajetória de eventos que se iniciou em Remígio no ano de 2010, Queimadas (2011), Esperança (2012), Solânea (2013), Massaranduba (2014), Lagoa Seca (2015), Areial(2016), Alagoa Nova(2017), São Sebastião de Lagoa de Roça(2018) e nesta edição 2019 volta para a cidade onde se iniciou. “Estamos animadas e mobilizando todas as mulheres do município de Remígio e todo o Polo da Borborema e as caravanas que vêm de fora pra vir pra marcha no dia 14, a marcha pela vida das mulheres e pela agroecologia”, evidencia Giselda através de grito ativo via Domingo Rural e Esperança no Campo.

Aquela ativista das causas sociais explicou que a marcha acontece em sintonia com as diversas marchas que acontecem no estado, no semiárido, no Brasil e no mundo lembrando nomes de mulheres que foram vítimas da violência por lutarem por um mundo mais igual. “Ela vai acontecer no dia 14 por conta que dia 14 vai fazer um ano que executaram Marielle, a nossa vereadora carioca que executaram o corpo dela simplesmente por ser mulher, mulher negra, pobre, lésbica e periférica e era mulher de luta que reafirmava as bandeiras de lutas pelas mulheres e em favor de uma sociedade sem nenhum tipo de preconceito e isso também é um marco e vamos fazer justiça à Marielle no dia 14. Mataram Marielle, mas mais de 5 mil Marielles estão surgindo no Polo da Borborema, assim como mataram Margarida Maria Alves e várias Margaridas Maria Alves surgiram em todo o Brasil e no mundo inteiro”, explica ao dialogar com Stúdio Rural.

Programação:

8h – Acolhida das caravanas/música

9h – Abertura oficial

9h10 – Apresentação peça teatral: “Como se fosse da família”

9h30 – Testemunhos

10h – Saída da Marcha

11h – Chegada ao Parque da Lagoa | Feira das Margaridas

11h15 – Lia de Itamaracá

12h30 – Mística de encerramento

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo