Safra do umbu na região do Curimataú Seridó anima grupo de mulheres para beneficiamento do fruto

A safra do umbu 2020 já se inicia em municípios do Curimataú Seridó paraibano e já anima o grupo de mulheres da comunidade Canoa de Dentro, município de Pedra Lavrada, Seridó paraibano, que trabalha o beneficiamento de frutas nativas da região a partir da elaboração de doces, geleias, polpas, sucos e outros.

O tema foi evidenciado no Programa Esperança no Campo e Programa Domingo Rural do último final de semana a partir de entrevista com a agricultora Maria Betânia Buriti Alves, residente naquela comunidade e que faz parte do coletivo Centro de Cidadania Filhas da Terra responsável por capacitações e mobilizações sociais para a convivência na região. “Para esse ano de 2020 a expectativa das mulheres é muito boa porque os umbuzeiros estão com a safra muito boa e as famílias têm o umbu como uma fonte de renda também, elas passam a colher esses frutos nos umbuzeiros e comercializam esses frutos gerando uma renda a mais para essas famílias agricultoras não só aqui do município de Pedra Lavrada, mas também da região aqui do Seridó”, explica justificando que a frutificação está bem fortalecida e que toneladas do produto já começam a sair para indústrias em cidades da Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco. “Já tem bastante umbuzeiros safrejando com uma safra muito boa, já tem pessoas colhendo o fruto e vendendo para atravessadores, mas também não deixa de ser uma fonte de renda para as famílias agricultoras e a safra ainda se prolonga até o mês de junho porque os umbuzeiros que ainda estão safrejando e tem os que safrejam a partir do mês que vem já que temos umbuzeiros por aqui que vai até o mês de junho”, explica.

Buriti explicou que desde alguns anos a cultura do umbu passou a ter mais valor, especialmente a partir do período em que as famílias passaram a beneficiar os frutos a partir do ano de 2008 em diversos derivados e garante que atualmente são vendidos toneladas do fruto para atravessadores. “É lógico que varia com os períodos de chuvas, mas aqui nunca deixa sair no ano 100 a 150 toneladas de fruta in natura do umbu aqui na região”, explica.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo