Sindicato realiza jornada da agricultura familiar de Queimadas

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas, Agreste paraibano, realizou no último dia 20, (quarta-feira), sua jornada 2015 da agricultura familiar envolvendo agricultores e representações de associações camponesas de diversas comunidades daquele município.

Entrevistada por nossa equipe, a presidente daquele sindicato, Maria Anunciada Flor Barbosa Morais, explicou tratar-se de uma reunião que é realizada a cada ano nos municípios da Borborema que fazem parte do Polo Sindical da Borborema, momento em que o sindicato reúne agricultores e representações comunitárias para juntos traçar os planos das atividades a serem realizadas no decorrer do ano. “É feito um calendário onde cada município marca a data de realização das ações das comissões temáticas a serem trabalhadas dentro do município durante o ano”, explica garantindo que questões como fundos rotativos solidários, recursos hídricos, sementes da paixão, criação animal, cultivos agroflorestais, valorização dos arredores de casa, violência contra a mulher são exemplos dos temas abordados naquela reunião como referência de construção para o trabalho 2015.
José Cardoso Taveira, Chell, é presidente da Associação dos Agricultores e Agricultoras do Sítio Capoeiras, participou do encontro e, ao ser entrevistado no Esperança no Campo e Domingo Rural, classificou como sendo um encontro de fundamental importância para a agricultura do município já que, além de ser um planejamento de ações para todo o ano, é também um espaço de diálogo entre as diversas associações de agricultores do município e garante que isso tem feito com que haja sempre uma ampla adesão de entidades e agricultores junto as ações do sindicato. “O pessoal é satisfeito demais e o sonho de muitos dos que já têm a primeira água é conseguir mais uma dessa calçadão pra garantir a água de chuva, porque agora está difícil, a situação de falta d’água não é só aqui em Queimadas nem na Paraíba, é no Brasil inteiro e está difícil e todo mundo está correndo atrás vê se tem como garantir mais uma águazinha”, explica aquela liderança camponesa.
Rita Clementino da Cunha Santos é agricultora no sítio Gravatá, participou do encontro e de nossos programas radiofônicos falando sobre a importância do encontro e sua forma de planejar 2015, garantindo que são essas dinâmicas que vêm mudando para melhor a qualidade de vida da população queimadense nas diversas comunidades. “Avalio como bom encontro porque já passei muita necessidade por água, agora já faz oito anos que lá na comunidade não temos mais água saneada porque os canos e tubos esfarelou tudo e passamos muito sufoco por água e foi uma bênção de Jesus ter tocado o coração da presidência para botar essas cisternas pra gente” comenta.  
Antônio Teodósio da Silva(Toinho Raposeiro) é agricultor residente naquele município, esteve no sindicato pra discutir o programa de reordenamento agrário, aproveitou para participar do encontro e disse ser uma dinâmica de muito envolvimento entre toda a coletividade e que as ações são muito importantes para as famílias que mais precisam citando como exemplo os fundos rotativos. “É muito bom em tudo participar porque se não se organizar ninguém consegue nada não, fica bem difícil a gente conseguir as coisas só”.
Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top