Unidades Gestoras do Programa um milhão de cisternas da PB e RN se reúnem em Campina Grande

Cerca de 45 integrantes das Unidades Gestoras Microrregionais (UGMs) do Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) participaram durante a última quita(28) e sexta-feira(29), de uma Oficina de aperfeiçoamento em técnicas de construção de cisternas, evento que aconteceu no Day Camp Hotel no Sítio Lucas, zona rural de Campina Grande.

Segundo o representante da ONG Patac, Valdir Cordeiro, o evento discutiu a qualidade dos serviços no processo de construção de cisternas através da troca de experiências das Unidades Gestoras que atuam na construção de cisternas nos municípios dos Estados da Paraíba e Rio Grande do Norte a exemplo da qualidade dos materiais de construção, qualidade na higienização da água dentre outras. “A gente tem o objetivo de está identificando que dificuldades estão sendo encontradas pra execução, pra construção das próprias cisternas em cada localidade, sejam dificuldades do ponto de vista técnicos, sejam dificuldades do ponto de vista das próprias relações dos animadores com as comunidades, das comunidades em relação a aquisição de material, a qualidade desses materiais e também relacionado a capacidade de trabalho que cada família tenha e que possa está entrando como contrapartida para agilizar o trabalho nas localidades”, explica Cordeiro.

Em entrevista concedida a equipe Stúdio Rural, Valdir fala sobre a importância do processo de construção de cisternas e o processo de estruturação das pequenas propriedades em 11 Estados que compõem a região semi-árida brasileira que estão na área do Programa Um Milhão de Cisternas, acrescentando que do encontro sai um documento de base sobre os avanços, perspectivas e qualidade do P1MC e que servirá de referência para as ações das entidades gestoras.

Stúdio Rural entrevistou o representante da ONG SEAPAC, Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários, ONG da base da Diocese de Caicó, Mossoró e Natal, no Rio Grande do Norte, Damião Santos de Medeiros, que falou sobre o evento e a participação do RN dizendo ser um encontro de avaliação e compartilhamento dos serviços de construção de cisternas executados nestes dois estados(PB e RN) sendo de fundamental importância para a melhoria dos serviços e também construindo uma visão crítica para as eleições deste ano 2008, já que para as entidades as famílias devem optar por políticos que assumam compromissos com as políticas de transformação da região semi-árida nordestina, utilizando tecnologias apropriadas e de baixos custos. A realidade no RN, segundo Santos, é de muita carência em conseqüência dos 500 anos de exclusão, mas que muitas ações já foram desenvolvidas por parte das entidades da sociedade civil organizada que vem mudando para melhor o panorama do semi-árido brasileiro. Damião disse acreditar que a sociedade precisa cobrar mais das autoridades locais no sentido de adotarem ações que demandem poucos investimentos e causam fortes impactos positivos na vida das famílias em toda a região.

O evento contou com a participação do coordenador técnico pedagógico da ASA Brasil, Articulação do Semi-árido Brasileiro, Flávio Lira, 01 representante de cada uma das oito UGMs de cada estado, 02 pedreiros de Cada Unidade e aconteceu durante a quinta e sexta-feira(28 e 29/08).

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top