Agricultura de Santo André-PB comemora resultados na safra 2020

A agricultura familiar do município de Santo André, Cariri Oriental, e municípios adjacentes está comemorando resultados positivos nesta safra 2020 que tem registrado chuvas permanentes durante grande parte deste primeiro semestre do ano.

Conforme o agricultor familiar Aldo Cesar Cavalcante, agricultor e residente no Sítio Barroca Funda de Santo André, o ano agrícola já pode ser classificado como um ano bom já que foi possível concluir produção de variedades de feijões, milho, diversidade nos alimentos agrícolas e ampla produção de alimentos para o rebanho que serão processados em fenação e silagem. “A vegetação está linda, eu tenho um partido de palma aqui que não consigo nem ver em razão da jitirana, o mato cobriu, está cheio de flores, eu crio abelhas e não tem cena mais bonita que essa pra mim, porque eu crio abelhas e é lindo ver as abelhas trabalhando naquela florada fazendo a polinização das plantações que a gente faz. Muita gente aqui nesse ano resolveu plantar roçados, e roçados grandes, aqui no meu Santo André temos uma reforma agrária natural em que todo mundo tem suas terrinhas, poucas pessoas trabalham em terras dos outros e aí você passa e vê campos e mais campos de milho plantado, a forragem grande, é pouco lugares em que houve perdas”, explica Aldo César ao iniciar diálogo amplo com o público ouvinte do Programa Domingo Rural deste domingo(24).

Aquele agricultor explicou que a prática de beneficiamento da ração já está fazendo parte da vida das famílias agricultoras especialmente a partir de um trabalho de conscientização compartilhado pelos componentes e entidades do Fórum do Território do Cariri Oriental paraibano. “O animal alimentado com uma ração desse tipo fica forte, a carne fica gostosa e você está fazendo uma coisa certa porque você já deixa até a terra preparada ali para no próximo ano você plantar novamente, é um ciclo. A gente que é agricultor planta mais por paixão, porque a maioria de nós planta para a subsistência, para o alimento da gente que já não precisamos mais comprar o milho e o feijão quando a gente lucra, mas aí a vantagem maior é que aqui quase todas as pessoas criam animais e isso é a poupança principal que a gente tem”, explica Aldo fazendo comparativo das formas de poupança feita pelas pessoas do mundo rural com as pessoas que vivem no urbano e garante que as famílias agricultoras estão trabalhando levando em consideração a importância de manter o distanciamento social para evitar o Coronavírus.  

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo