Arroz vermelho orgânico apresenta excelente produção em cidades do sertão paraibano

Diversos municípios da região do Sertão paraibano estão num processo de comemoração da alta produção do arroz vermelho orgânico que nesse ano se soma a excelente produção do algodão orgânico em toda aquela região.

Na região de Itaporanga diversos municípios plantam e estão colhendo resultados neste ano agrícola 2020.

Na região de Princesa Isabel, também no Sertão, agricultores de diversos municípios plantam significativas áreas com arroz vermelho e um exemplo é o município de Água Branca onde o agricultor José Eudo da Silva, Dé Caboclo, Presidente da Associação dos Agricultores e Agricultoras da Comunidade Barros e Santa Maria, foi nosso entrevistado no Programa Domingo Rural detalhando as experiências da agricultura familiar local e regional justificando que a cultura já faz parte da tradição de cultivos na vida das famílias agricultoras. “A cultura já faz parte, aqui na gente mesmo o arroz vem desde o tempo de meus avós que tem essa tradição e meus tios continuaram na tradição plantando arroz e colhendo, o arroz da gente faz parte da tradição na Festa do Agricultor que esse ano não aconteceu(em razão da Covid-19)”, explica Dé Caboclo ao dialogar com nosso público ouvinte Domingo Rural.

Aquela liderança explicou que a cultura já faz parte de muitas comunidades de municípios diversos da região sertaneja a partir do acompanhamento da extensão rural paraibana com apoio das secretarias municipais da Agricultura e garante que o alimento é presença permanente na mesa dos sertanejos e sertanejas no campo e na cidade. “A gente tem todos os dias, isso aí é o prato tradicional, não pode faltar não”, explica comemorando.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top