Coletivo Regional e Patac lançam Bodega Agroecológica no Centro de Soledade

No próximo dia 10 será lançado oficialmente na cidade de Soledade, a Bodega Agroecológica, espaço destinado a venda dos produtos agroecológicos dos agricultores familiares direto aos consumidores de toda a região que conta atualmente com elevado número de agricultores e agricultoras familiares que são acompanhados e capacitados a partir de práticas, encontros e intercâmbios de conhecimentos com o apoio das entidades de agricultores vinculadas as entidades PATAC e Coletivo Regional de Educação Solidária do Cariri, Seridó e Curimataú, entidades vinculadas a ASA Paraíba, Articulação do Semi-árido Paraibano.

A informação é do representante do Patac, agrônomo Emanoel Dias, justificando que o espaço destinado a comercialização dos produtos da agricultura familiar é uma importante estratégia para o fortalecimento da agroecologia no semi-árido e que muitas famílias vêm transformando os desafios relacionados à disponibilidade de água, terra e sementes em produções diversificadas fundamentais para aumentar a segurança alimentar e nutricional. “Essa prática é comum desde os primórdios da agricultura que afirma a identidade cultural dos povos, constrói laços entre as comunidades, preserva a biodiversidade, valoriza o espírito inovador das famílias agricultoras e garante autonomia a regiões que sempre foram vistas como improdutivas. A diversidade de alimentos produzidos pelas famílias agricultoras são frutos da capacidade de trabalho, observação e relacionamento harmoniosos dos povos do semi-árido com a terra. Essa diversidade e o conhecimento acumulado de geração em geração se constituíram em um importante patrimônio a serviço das populações”, argumenta Dias, acrescentando que a valorização dos recursos locais disponíveis, acompanhada a estruturação de inovações técnicas (barragens subterrâneas, canteiros econômicos em água, cisternas adaptadas para produção, aproveitamento dos leitos das vazantes) possibilita a formação de estoques (água, sementes, forragens…) fundamentais para a convivência nos períodos críticos onde a escassez principalmente de água compromete a produção e oferta de alimentos.

Ao contatar com Stúdio Rural a liderança lembrou que os alimentos hoje presentes nas mesas são frutos do trabalho da agricultura familiar comprometida com a construção de um semi-árido mais justo e solidário, produzidos de forma agroecológica onde as famílias agricultoras eliminaram todo o uso de venenos, evitam queimadas, plantam sementes de origem conhecidas e buscam uma integração de todos os subsistemas na sua propriedade fazendo com que os alimentos produzidos pela agricultura familiar, já estejam presentes nas mesas daqueles que não têm possibilidade de produzir, através da comercialização em diversos espaços formais e informais.

“Neste sentido, o Coletivo Regional pensando em estimular o crescimento desses circuitos de comercialização solidária dos produtos da agricultura familiar, abre a Bodega Agroecológica, lá os consumidores irão encontrar gêneros alimentícios beneficiados nas mais variadas formas, doces, geléias, compotas, polpas, bolos, cocadas, leite, queijo, licores, manteiga, ovos de galinha de capoeira, hortaliças fresquinhas e belas peças artesanais, tudo produzido com todo carinho e dedicação por homens, mulheres, jovens e crianças que sabiamente ofertam as nossas mesas gestos concretos, frutos de um trabalho de quem se preocupa com a continuidade da vida e a sustentabilidade no planeta”, explica o agrônomo.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top