Embrapa recebe secretário paraibano da agricultura e fala sobre produção de sementes na agricultura familiar

A Embrapa Algodão Campina Grande recebeu em reunião(foto) nesta segunda-feira(02/02), o secretário de agricultura da Paraíba, Carlos Dunga, em evento que aconteceu na unidade de pesquisas em Campina Grande no início da noite e contou com a presença do presidente da Emepa, Empresa Paraibana de Pesquisas Agropecuárias, Miguel Barreiro Neto; representante da Emater-PB, Verneck Abrantes; subsecretário da agricultura, Fábio Medeiros; gerente de sementes e mudas da Embrapa Transferência de Tecnologia de Brasília-DF, Alberto Alves de Santana; gerente da Embrapa Transferência de Tecnologias escritório de Campina Grande, Lenildo Dias de Morais; representante da área de Comunicação e Negócio da Embrapa Algodão, Liv Soares Severino; representante da área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, Carlos Alberto Domingues da Silva, assessor da chefia da Embrapa, José Janduí Soares e style=mso-spacerun: yes>  o chefe geral da Embrapa Algodão, style=mso-spacerun: yes>  Napoleão de Esberard Macedo Beltrão.

A reunião teve o objetivo de discutir um plano de semente na agricultura familiar paraibana com famílias credenciadas e reconhecidas pelo Ministério da Agricultura numa idéia que envolva unidades produtivas de sementes em microrregiões do Estado da Paraíba numa variedade de cultivares a exemplo de algodão, gergelim, amendoim, feijão dentre outras e que venha atender a agricultura familiar do Estado da Paraíba.

Stúdio Rural compareceu ao local e conversou com o representante da Embrapa Transferência de Tecnologias-DF, Alberto Alves de Santana, a vinda dele teve o objetivo de trabalhar uma proposta de trabalho em parceria com o governo paraibano para transformar algumas comunidades de agricultores familiares em produtores de sementes reconhecidas pelo Ministério da Agricultura num acerto onde a Embrapa entre com a tecnologia, o Estada da Paraíba com a tecnologia da Emepa e o apoio da extensão rural num trabalho que possa frutificar o mais breve possível.

O gerente da Embrapa Transferência de Tecnologias de Campina Grande, Lenildo Dias de Morais, disse que o encontro representou uma reunião de articulação institucional entre a Embrapa SNT de Brasília e Campina Grande, Embrapa Algodão com a participação do governo paraibano onde possa se discutir um programa de produção de sementes junto a agricultura familiar do Estado, ação que envolve os segmentos da sociedade organizada do setor produtivo a exemplo das ONGs para que se faça um plano de gestão de semente para a agricultura do Estado da Paraíba.

Ao dialogar com Stúdio Rural o presidente da Emepa, Miguel Barreiro Neto, garantiu que o governo paraibano já vem fazendo um trabalho de multiplicação de sementes que tem contemplado a agricultura familiar do Estado da Paraíba. “Nós já fazemos tradicionalmente uma multiplicação cooperada que atende programa de governo relacionado com a agricultura familiar, esse ano mesmo nós distribuímos com a secretaria de agricultura aproximadamente 200 toneladas, o ano passado foi um pouco mais e nós já temos uma experiência consolidada. A vinda do SNT que é um órgão muito valioso dentro do sistema Embrapa sem dúvida nenhuma possibilita e amplia essa capacidade, porque vão vir outras espécies, nós estamos trabalhando basicamente com milho, algodão, agora pode vir gergelim, amendoim e isso cada vez mais vai contribuir para que a gente tenha uma segurança de que as comunidades num médio prazo vão ser autosuficiente na produção de sementes para si e também para vender a nível de município, da região, do Estado, talvez elas possam exercer o papel que antes exerciam quando era para fornecer algodão para as usinas onde elas eram alimentadoras desse processo”, argumenta Barreiro Neto.

Já o secretário da Agropecuária e da Pesca, Carlos Dunga, ao ser entrevistado pela equipe Stúdio Rural disse ter sido procurado pela Embrapa no sentido de desenvolver um projeto em parceria para a produção de sementes e imediatamente o governador Cássio Cunha Lima determinou que a secretaria fosse a Embrapa levando as empresas do governo para ouvir da Embrapa qual o desejo dos que fazem aquela casa de pesquisas, disse que ouviu atentamente as colocações do embrapiano Alberto Alves de Santana o que fez com que ele, naquele momento, determinasse aos técnicos da Emepa que recebessem os técnicos da Embrapa na unidade da Emepa de Alagoinha(no Brejo) e garantiu que na quinta-feira já estará na cidade de Catolé do Rocha, Sousa e Pombal para, juntamente com algumas cooperativas locais, discutir o interesse em produzir sementes naquelas três comunidades num sistema que atenda as aspirações dos segmentos da agricultura familiar paraibana. “Esse também é um dos pensamentos do governo, nós achamos que a semente produzida aqui vai gerar mais emprego, achamos que haverá uma mão de obra qualificada, porque a pesquisa propriamente dita irá instruir os nossos parceiros produtores rurais e consequentemente haverá um retorno não só econômico, mas de qualidade na genética da semente aqui na Paraíba”, argumentou o secretário.

O chefe geral da Embrapa Algodão, Napoleão de Esberard Macedo Beltrão, disse que a Embrapa estará a disposição do governo paraibano para atender os objetivos do executivo em torno de um programa de semente fazendo com as tecnologias adaptáveis desenvolvidas pela Embrapa possam chegar nos campos produtivos, fazendo com que as famílias agricultoras possam produzir sementes reconhecidamente de qualidade para o consumo interno e possam vender o excedente nos mercados regionais.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top