Entidades sertanejas discutem construção de fóruns de desenvolvimento microrregional

Entidades da sociedade civil e governamentais da região do Auto Sertão estiveram reunidas no dia 17 de fevereiro na cidade de Aparecida objetivando discutir a criação dos territórios de desenvolvimento rurais daquela região envolvendo os municípios polarizados pelas cidades de Sousa, Catolé do Rocha, Cajazeiras e Pombal.

Estiveram presentes representações de sindicatos de trabalhadores rurais, ONGs, câmaras municipais, prefeituras, Emater, Embrapa Algodão, delegacia do MDA dentre outras representações que discutiram a importância do território para o desenvolvimento regional e qual o papel das entidades e pessoas no processo.

Inicialmente o delegado federal do desenvolvimento agrário no estado, Marenilson Batista da Silva, escutou atentamente as discussões e avaliações feitas a cerca de outras reuniões que aconteceram na cidade de Pombal, Aparecida, Cajazeiras e Catolé do Rocha, reuniões decisivas para a construção de pautas para a reunião deste dia 17. “Essa reunião teve a finalidade de, mais uma vez, dizer que o governo federal é parceiro da agricultura familiar, que é parceiro do desenvolvimento territorial e essa reunião teve essa finalidade aqui no Auto Sertão envolvendo os pólos de Sousa, Cajazeiras, Pombal e Catolé do Rocha no sentido de começarmos as discussões dos territórios aqui do Auto Sertão no intuito integrar políticas e fazer principalmente com que essa política chegue aos habitantes aqui do Auto Sertão” argumenta Batista ao dialogar com Stúdio Rural.

Para a representante da ASA Paraíba e da Central dos Assentamentos, Maria do Socorro Gouveia, foi momento importante porque pouco a pouco a sociedade vai fortalecendo a relação política com os setores governamentais na busca de efetivar importantes ações sustentáveis já trabalhadas na agricultura familiar sertaneja para que sejam transformadas em políticas de governo e ou públicas. “A gente como ASA aqui no Sertão, temos várias dinâmicas que estão sendo trabalhadas, vários projetos, iniciativas, experiências e convivência e que todo esse acúmulo não só vem ajudar mas já está ajudando nesta discussão onde estão entidades como sindicatos, como a CAAASP que estão aí já com os programas do P1MC aqui na região e que tem contribuído com toda essa articulação”, afirmou Gouveia.

O prefeito da cidade da cidade de Cajazeiras, Leonid Souza de Abreu, disse que os prefeitos da região saem todos contemplados já que o governo federal fomenta e estimula a criação dos territórios para que a sociedade, com dados técnicos sobre a realidade, possa trabalhar as transformações a partir de investimentos que tenha a participação de todos os segmentos sociais. “Isso é importante nos programas de parcerias nos municípios com as entidades, as ONGs com o governo federal na viabilização de muitos dos projetos que precisam da existência desse território pra que ele se enquadre dentro das políticas sociais que o governo federal tem dado a população brasileira e nós precisamos avançar nisso, é uma necessidade de cada município na construção de seus projetos e é uma necessidade maior da população como um todo”, argumenta Leo.

Já o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Aparecida e viceprefeito daquela cidade, Antônio do Nascimento Sobrinho, Antônio da Viúva, disse que as representações sindicais saem contempladas do evento porque é um momento em que a categoria dos trabalhadores rurais se envolvem de na discussão de orçamento dos recursos públicos vindos do governo federal e que envolve a contrapartida dos governos locais. “O ponto mais alto dessa reunião é que ela conseguiu envolver uma grande região, de Catolé do Rocha a Cachoeira dos Índios e de Bonito de Santa Fé a Triunfo então pra mim envolve todo o Alto Sertão e agora vai desencadear se Deus quiser na execução das políticas públicas com mais democracia”.

Entrevistado por Stúdio Rural, o deputado estadual, Jeová Campos(PT), falou sobre a lógica do governo federal no processo de democratização das políticas governamentais com mais envolvimento dos segmentos sociais e governamentais dizendo que a criação dos territórios representam importante espaço onde a sociedade define onde e como recursos podem ser aplicados nos municípios em benefício da sociedade e da região. “Eu diria que a historia se constrói no tempo, ninguém é capaz de predizer a história, mas a história também nos ensina a fazer as coisas, e quando você tem um governo democrático, aberto e que dialoga com todos os segmentos da sociedade independente da matriz ideológica ou partidária isso é uma lição civilizadora e termina comum projeto diferente, um projeto de nação”, argumenta Campos.

Para o articulador do território do Médio Sertão, Jailson da Penha, o encontro foi de fundamental importância para a criação dos territórios naquela região e disse que as diversas outras microrregiões que já estão desenvolvendo as políticas territoriais dão um sentido maior para a aceleração da construção territorial para todo o Alto Sertão paraibano.

Na reunião ficou agendado para os dias 10 e 11 deste mês de março reuniões para a cidade de Catolé do Rocha, Sousa, Cajazeiras e Pombal.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top