Exposição de animais de Campina Grande acontecerá em apenas meia edição

A 46ª Exposição de Animais e Produtos Industriais anunciada para acontecer de 14 a 21 deste mês no Parque de Exposição Carlos Pessoa Filho, em Campina Grande, acontecerá apenas a partir da noite do próximo dia 17(quarta-feira) desfalcando o evento da segunda, terça e quarta-feira podendo comprometer o tradicional caráter cultural e mesmo comercial do evento já que durante toda a semana criadores, estudantes, organizações de criadores e empreendedores rurais de diversas cidades da Paraíba e de outros Estados da federação buscam conhecer de perto as tecnologias expostas naquele recinto.

A equipe Stúdio Rural compareceu ao local no final da manhã desta segunda-feira(15) e constatou que os trabalhos ainda estão em fase de desenvolvimento a exemplo de execução dos trabalhos nas instalações elétricas nos ambientes, limpeza e desinfecção de báias e ambientes para os animais, dentre outras ações necessárias para o funcionamento das atividades exigidas pelas normas de segurança do Ministério da Agricultura.

Stúdio Rural conversou com o representante da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuára e da Pesca do Estado da Paraíba(Sedap), setor de sanidade animal, Adalberto Motta, que disse ter sido uma medida por parte do Ministério da Agricultura exigindo o desenvolvimento de ações de segurança adequadas para o bom funcionamento das atividades o que impediu a abertura dos trabalhos na noite do último domingo, conforme anunciado pelo governo paraibano. “Nós já estamos em fase final de limpeza e montagem da estrutura do Parque e a gente espera que no final do dia de hoje(segunda-feira) já esteja tudo preparado, inclusive as desinfecções que foram exigidas pelo Ministério da Agricultura”, afirma o veterinário, acrescentando que a Feira de Animais de Campina Grande que acontece ás quartas-feiras, todos os anos transferida para um local próximo ao Parque e que neste ano não foi renovado o acordo por razões judiciais, foi o causador do impedimento do início das atividades já que. Ele disse que o terreno é der um particular e está em discussão judicial o que impediu a realização da feira e que sem essa prática os riscos na realização da Exposição.

Motta diz acreditar que a Exposição terá significativas perdas em razão de sua redução, mas avisou que os organizadores farão um trabalho que preencha os requisitos exigidos pelo MAPA objetivo a liberação por parte daquele Ministério no final da tarde desta segunda-feira dia 15.

Já o também veterinário técnico da Secretaria, lotado em Campina Grande, Antônio Araújo Neto, informou que a decisão do Ministério da Agricultura em exigir maior rigor no processo de desinfecção fez com que a Exposição fosse transferida para ser iniciada somente na próxima quarta-feira, já que naquele local não aconteceu o vazio sanitário e utilizar com a abertura do 46ª Expapi colocaria em risco a segurança de todo o Estado no que diz respeito a disseminação de doenças infectocontagiosas. “O mais importante aí é assegurar o aspecto sanitário, portanto como não houve tempo de haver a suspensão da feira(de gado), e não havia um vazio sanitário para exatamente a gente fazer desinfecção e preparar já que nós vamos receber animais de alta linhagem e animais de alto valor econômico é melhor a gente prevenir do que remediar. Portanto essa foi uma medida sanitária e com certeza os expositores é quem vão ganhar com isso, avalia Araújo Neto.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top