Horticultor implementa cultivo hidropônico na agricultura familiar de município pernambucano

Produzir hortaliças nos sistemas convencionais desde seus antepassados e a partir de agora, em tempos mais recentes, trabalhando com sistemas hidropônicos que consiste em plantar variedades de hortaliças sem a plantação direta no solo.

Essa é a experiência que a família do agricultor familiar José Laudiécio Ferreira de Melo, residente na comunidade Juazeirinho, zona rural de Serra Talhada, Sertão pernambucano, está vivenciando. Ele conta que a família planta verduras desde os avós e atualmente, em parceria com sindicato, fez investimentos para a montagem de uma estrutura que está proporcionando produzir ampla quantidade de folhosas que abastecem mercados na zona urbana daquele município. “A vida toda a gente sempre trabalhou, a gente plantava, consumia e o excedente a gente vendia, trabalhei desde meu pai e eu já saí tocando da mesma forma”, explica Laudiécio ao dialogar com nosso público ouvinte Programa Domingo Rural e garante que a agricultura de roçado é fortemente desenvolvida num processo que se soma a horticultura. “Só que a gente não abandona as hortaliças não, tenta conciliar os dois”, comemora.

Aquela liderança falou da importância do sindicato na vida das famílias agricultoras numa diversidade de ações e garante que a nova modalidade de produção veio a partir de sugestões e capacitações promovidas pela entidade sindical da categoria. “Foi através de Claudevan, ele conheceu o trabalho de um amigo dele que montou uma pequena estufa de forma experimental, e a gente conversando um dia quando ele veio aqui me visitar conversamos sobre a técnica da hidroponia e ele me levou lá pra gente fazer uma visita, eu vi, gostei e comecei a pesquisar e buscar informações e comecei a produzir”, explica dizendo que o manuseio é confortável, as perdas reduzidas e que o investimento inicial é um dos entraves, porém de retorno garantido. “E a mercadoria sai com muita qualidade por ser bem cuidada, com a estufa protegendo ela tem um desenvolvimento bem maior, você consegue em torno de dez a doze dias antecipar a colheita”.   Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top