Projeto em caprinocultura é tema de discussão para o desenvolvimento em Barra de Santa Rosa

Caprinos, criadores e autoridades reunidos em um só local objetivando traçar perfil de finalização de um projeto na busca do desenvolvimento da pecuária caprina do município de Barra de Santa Rosa foi o panorama apresentado durante toda a manhã da última sexta-feira(04/04), no Assentamento Cupira, zona rural daquele município no Curimataú paraibano. Estiveram presentes representantes do Programa Luz Para Todos, Eletrobrás, Ministério de Minas e Energias, INSA, Sebrae, Prefeitura Municipal de Barra de Santa Rosa, Governo do Estado, ONG CEOP de Picuí, Condomínio dos caprinocultores, associações de agricultores do município dentre outras objetivando discutir detalhes finais de um projeto patrocinado pela Eletrobrás que beneficiará 40 famílias daquele município.

O representante do Ministério de Minas e Energias, Marcelo Zonta Milani, ao dialogar com a equipe Stúdio Rural, falou da razão de estar visitando as comunidades daquele município contempladas com o Programa Luz Para Todos que garante importante insumo para o desenvolvimento que á a energia elétrica numa ação feita em parceria e que facilitará o desenvolvimento do projeto caprino que está sendo finalizado na parceria com órgãos governamentais diversos. “A chance é muito grande, posso lhe afirmar porque é isso a primeira experiência que o Governo Federal vem buscar aqui na realidade local é exatamente o nível de organização, então quando a gente tem o território da cidadania que já passou e fez todo um trabalho, as ações sendo convergidas para essa região então facilita em muito as outras ações chegarem. Então hoje aqui a gente pôde vivenciar e conhecer o condomínio já que está formado há mais de cinco anos aqui, as pessoas envolvidas com o projeto, então isso tudo cria um ambiente favorável para a aprovação do projeto que nós discutimos aqui hoje”, explica Zonta.

O produtor rural e caprinocultor, José Geraldo da Silva Júnior disse que a caprinocultura representa a melhor opção dentre da diversidade de culturas e cultivos desenvolvidos pelos camponeses daquele município que, segundo ele, já têm tradição histórica em produzir caprinos naquele território semiárido paraibano. “Pra gente aqui no momento é a melhor opção porque a criação de bode em termos da gente se manter hoje em dia no sítio só se for com a criação e a gente inventar outra coisa pra gente não dá não, porque o bode nós temos a carne, o leite, temos insumos pra usar o esterco na plantação e em termos de gastos é o que a gente menos está gastando aqui, é com a criação de bode”, explica o caprinocultor ao receber a equipe em sua unidade rural que falou sobre as práticas que são utilizadas para manter um criatório de cerca de 120 caprinos de leite e de corte. “A gente está pronto já, não estamos completamente, mas já estamos com as estruturas quase toda prontas, montadas e s nossa intenção é essa”, relata aquele camponês ao falar da expectativa que se tem na implementação do projeto.

Já o secretário do desenvolvimento da agropecuária e pesca do estado, Marenilson Batista, disse que o estado através daquela secretaria tem o papel de apoiar o projeto com o acompanhamento técnico e ações permanentes em sintonia com todas as instâncias governamentais e diálogos com a sociedade cível. “Nós entendemos que um governo é constituído com governos no estado, governo federal e sociedade civil juntos. Por isso que nós estamos aqui no Assentamento Cupira dialogando com a Eletrobrás, com a Chesf, com o Ministério de Minas e Energia com a presença da Emater firme representando o Governo do Estado, ou seja, os diferentes órgãos da sociedade cível onde as pessoas do Curimataú construíram um projeto que garanta a melhoria de vida dos agricultores, essa é a tônica do nosso governo com a determinação do governado Ricardo que todo projeto seja pra melhorar a vida da agricultura e dos agricultores que vivem aqui no semiárido”, relata Batista dizendo que a Emater estará muito presente na extensão de conhecimentos no projeto. “E é por isso que daqui a pouco iremos assinar com a prefeitura municipal de Barra de Santa Rosa essa parceria, esse convênio da Emater, governo do estado com a prefeitura para garantir a presença efetiva da Emater atendendo exatamente os nossos agricultores aqui da região”.

O prefeito daquela cidade, Evaldo Costa Gomes, disse que superou-se as expectativas já que o representante da Eletrobrás, Mateus pôde ver de perto a atividade caprina sendo trabalhada em todo o município quando ao se deslocar ao Assentamento Cupira foi possível perceber propriedades em que a atividade já acontece enquanto atividade histórica associado ao conjunto das atividades agrícolas. “É um projeto alvissareiro, um projeto até de uma estrutura que o município como parceiro desse projeto terá que se desdobrar para atender os pré-requisitos exigidos pela Eletrobrás e pelas outras instituições como INSA, como secretaria de agricultura e o próprio agricultor que vai ter que fazer e a parte dele e nós como município fazer nossa parte para que esse projeto na maneira que está sendo apresentado contemple a todo o município de Barra de Santa Rosa.

Adriano Leite é vereador naquele município, componente da ONG Xique-Xique e é da opinião de que a vinda das autoridades foi uma oportunidade para que todos vejam na prática que a caprinocultura é uma atividade já muito presente na vida e história do povo de Barra de Santa Rosa. style=mso-spacerun: yes>  “Nós conseguimos reunir de um lado os técnicos, de outro os possíveis patrocinadores e de outro os agricultores que são peça-chave desse quebra-cabeça. Nós não podemos pensar em desenvolvimento sustentável no semiárido se os agricultores não tiverem participando ativamente desse processo, então eu considero que demos um passo importante, não só para aprovar o projeto de caprinocultura da Barra de Santa Rosa, mas para a aprovar a idéia de crescimento e a idéia de desenvolvimento sustentável”, comenta Adriano ao dialogar com Stúdio Rural garantindo que a caprinocultura e a existência do povo da região é algo que se completa. “Nós estamos apenas querendo fomentar uma atividade rústica que tem viabilidade econômica, social, cultural e ambiental se for bem manejada, então não é o achismo, não é aquilo que está se criando, é uma coisa que já existe e a gente quer fomentar”.

O diretor do Centro de Educação e Organização Popular(CEOP), Olivânio Dantas Remígio, disse que o projeto faz parte de amplas discussões dentro do Fórum do Território da Cidadania no Curimataú e conta com o apoio de entidades diversas dos municípios daquele território. “Nós temos essa preocupação de qualificar a produção e também abrir mercados, hoje nós estamos coma Base de Serviço de Comercialização do Território que está abrindo mercado para os produtos da agricultura familiar, então a proposta nossa é fazer com que esse projeto de caprino que está com logística montada de aquisição de matrizes, melhoramento do patrimônio genético que é a qualidade do rebanho, estamos preocupados também com a comercialização do leite e da carne caprina que ainda é um pouco deficiente em nossa região, principalmente queremos introduzir essa alimentação na merenda escolar através do PNAE”.

Trata-se de um projeto de cerca de R$ 350.000,00 e que beneficiará 40 famílias agricultoras de seis assentamentos rurais daquele município numa ação que envolve diversas entidades parceiras.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Universo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top